21 Savage defende letras violentas em suas músicas

21 Savage foi às redes sociais para defender as histórias violentas que ele costuma pintar em suas letras, lembrando às pessoas que é arte e não vida real

Na segunda-feira (8 ), o rapper de Atlanta 21 Savage twittou uma mensagem sobre violência armada que dizia: “Atlanta, temos que fazer melhor, abaixe as armas!”. Um internauta respondeu com um GIF de um homem parecendo confuso e algumas das letras de 21 Savage de sua colaboração com Drake no topo das paradas da Billboard “Jimmy Cooks” na legenda.

Ao que 21 Savage respondeu: “Uma música é para entretenimento, não é um manual de instruções sobre como viver a vida na vida real, dou muito dinheiro e espalho a alfabetização financeira para minha comunidade. Pare de tentar me tornar unidimensional”, disse.

Foto: reprodução

Letras de rap usadas como prova em casos criminais tem sido um tema quente ultimamente. Em junho, Kevin Liles, da 300 Entertainment, e a COO, Julie Greenwald, da Atlantic, lançaram uma petição intitulada “Rap Music on Trial: Protect Black Art”, que se concentra em como os promotores tentam continuamente usar letras de rap em um tribunal.

A petição detalhou como Young Thug, Gunna e seu coletivo Young Stoner Life (YSL) foram vítimas dessa tática de acusação durante o caso RICO em andamento. Como Liles e Greenwald explicaram em uma declaração conjunta: “Armar a expressão criativa contra artistas é obviamente errado. Mas o que nos deixa tão chateados é que o que está acontecendo com Young Thug, Gunna e YSL é apenas o caso mais importante.”

No mês passado, a lei Restoring Artistic Protection Act (RAP Act) foi introduzida na Câmara dos Representantes dos EUA pelos congressistas Hank Johnson (D-GA) e Jamaal Bowman (D-NY) em meio a crescentes preocupações sobre as letras serem usadas contra artistas em casos criminais.

O primeiro projeto de lei visa “limitar a admissibilidade da prova de expressão criativa ou artística de um réu contra tal réu em um processo criminal e para outros fins” e visa alterar as leis do Federal Rules of Evidence.

Confira o post abaixo:

Sair da versão mobile