Adidas quase lançou campanhas racistas para tênis de James Harden e Damian Lillard

+ ACESSADAS

Cardi B acredita que JAY-Z pode trazer Colin Kaepernick de volta à NFL

Cardi B tem fé em JAY-Z. Em uma nova entrevista com o TMZ , a artista multi-platinada disse que...

6ix9ine aparece sem seu cabelo de arco-íris em foto inédita de visita íntima

Tekashi69 está de volta às suas raízes, literalmente. Com o seu julgamento se aproximando rapidamente, finalmente poderemos obter algumas fotos...

Travis Scott e Netflix liberam trailer do documentário “Look Mom, I Can Fly”

Travis Scott nos mostra um pouco de sua vida privada no documentário "Look Mom I Can Fly". Travis Scott pode...

Alegações de discriminação racial na Adidas acabam de ser divulgadas.

Um relatório recente do New York Times cita vários exemplos de insensibilidade racial e falta de diversidade na sede norte-americana da Adidas em Portland. De acordo com o relatório, mais de 20 funcionários atuais e ex-funcionários anônimos descreveram um ambiente de trabalho na Adidas Village que contradiz a imagem de inclusão e diversidade da marca. Muitos citaram que houve vezes em que eles eram os únicos empregados negros nas reuniões, o que muitas vezes levava a estereótipos raciais surgindo nas discussões.

Dois desses exemplos envolveram alguns dos maiores embaixadores da marca, os superstars da NBA James Harden e Damian Lillard. O artigo aborda uma reunião em 2016 que sugeriu a comercialização de um novo modelo do tênis de Harden como parte da campanha “Uncaged (Desenjaulado)” com uma propaganda mostrando Harden se libertando de uma cela de prisão. Outra campanha, intitulada “All Rise”, mostraria Lillard como um réu do tribunal. Ambos as campanhas quase foram lançadas mas acabariam sendo descartadas por seus tons raciais, após funcionários negros apontarem a conotação descriminatória das mesmas.

- Advertisement -

Outros funcionários disseram ao Times que os funcionários brancos se referiam a eles com insultos raciais. “Dois funcionários negros disseram ter sido citados com uma vulgar calúnia racista por colegas de trabalho brancos, um verbalmente e outro em uma mensagem de texto vista pelo Times. Em ambos os casos, as pessoas acreditavam que o insulto era uma piada, que eles sentiram apenas destacar a perspectiva distorcida da empresa em relação à raça “.

Relatórios semelhantes surgiram sobre a marca das três listras em novembro de 2018, bem como quando uma carta anônima falou de suposta tensão racial e intimidação no local de trabalho.

Como o artigo aponta, isso está muito longe da mensagem que a marca promove aos olhos do público, que conta com embaixadores como Kanye West, Pharrell Williams, Pusha T e a recém-assinada superstar Beyoncé. Na realidade, menos de 4,5% dos 1.700 funcionários da sede da Adidas em Portland se identificam como negros, de acordo com os números de emprego do verão americano de 2018. No ano passado, apenas três dos cerca de 340 vice-presidentes mundiais da empresa eram negros.

A chefe global de recursos humanos da Adidas, Karen Parkin, admitiu no New York Times que a empresa pode melhorar este aspecto do seu local de trabalho e disse que tem uma política de “tolerância zero” em relação a este tipo de incidentes. Investigações teriam ocorrido se tivessem sido relatadas corretamente. “Queremos ser humildes”, disse Parkin. “Não estamos onde precisamos estar em todos os lugares ao redor do mundo. Mas também não temos medo de conversar.”

A Adidas forneceu à Sole Collector uma declaração oficial sobre essas alegações recentes, confira abaixo.

“Temos o compromisso de promover um ambiente respeitoso, equitativo e inclusivo para todos os funcionários da Adidas em todo o mundo. É crucial que tenhamos e apoiemos uma força de trabalho diversificada que represente uma variedade de ideias, pontos fortes, interesses e origens e que promovamos uma cultura aberta onde todos os nossos colaboradores possam contribuir plenamente. Valorizamos todos os nossos funcionários, somos mais fortes devido às suas perspectivas únicas e dedicamo-nos a alcançar uma maior diversidade em todos os níveis da empresa.

Nós ativamente avaliamos e buscamos fortalecer nossos programas e políticas para garantir que estamos recrutando, retendo e desenvolvendo uma equipe diversificada. Recentemente, expandimos nossa equipe de Diversidade e Inclusão na América do Norte para nos concentrarmos em comunidades subrepresentadas em nossa força de trabalho em todo o ciclo de vida de talentos; e conduzimos educação e treinamento contínuos sobre inclusão no local de trabalho para funcionários em toda a América do Norte. Nossa estratégia de diversidade na América do Norte também inclui programas para ajudar a trazer novos funcionários de diversas origens para posições na sede corporativa da empresa. Embora tenhamos feito progressos nessas áreas, reconhecemos que há muito a ser feito e estamos comprometidos em fazê-lo.”




[Total: 0    Média: 0/5]

- Advertisement -
- Advertisement -
- Advertisement -

Últimas Notícias

Ex-segurança de Cardi B é preso por tráfico de drogas

O homem foi preso por vender US$ 12 mil em crack. Parece que um dos "muscle cars" de Cardi B...

Tênis Nike Air Max 90 “Viotech” ganha novas imagens

O Air Max 90 "Viotech" estará disponível ainda em agosto. O colorido Nike Air Max 90 "Viotech" está a caminho de ser lançado em 29...

Filme “Breaking Bad” será lançado neste ano na Netflix; Confira o trailer!

Longa ganhou titulo oficial, trailer e sinopse. O filme de Breaking Bad ganhou título, sinopse e data de estreia na Netflix e um teaser. O...

Obama divulga sua playslist de verão com Drake, Rihanna, Beyoncé, JAY-Z, Lizzo e mais

Bem legal, mas cadê o Gunna? É aquela época do ano em que Barack Obama demonstra seu gosto pela arte. Embora originalmente fosse uma tradição...

Quavo está “traficando” sanduíches do Popeye’s por US$ 1 mil cada

Quavo sabe como ganhar dinheiro. A resposta de Quavo às crescentes hostilidades entre as redes de fast-food Popeye's e Chick-fil-A foi estocar seus produtos por...
- Advertisement -

More Articles Like This

- Advertisement -