As mais novas sensações da música, a cantora Agnes Nunes e o rapper Xamã, apresentam hoje o single “Cida”, composto pelos dois artistas, que é parte de um projeto dedicado às mulheres, produzido por CMK Beats, através do selo Baguá Records.

“Cida” é a primeira de quatro faixas que serão lançadas em conjunto pelos dois artistas. Posteriormente serão apresentadas as outras três canções: “Doloris”, “Sonia” e “Rose”, que integrarão o EP intitulado “Elas por Elas”, que terá lançamento no dia 5 de julho.

O encontro entre esses dois jovens talentos se deu pela internet. “Conheci a Agnes fazendo covers. Achei ela incrível e mandei as minhas músicas para ela. Nós nos aproximamos e ela veio de Campina Grande para o Rio de Janeiro. Nossas ideias e famílias se aproximaram e agora estamos aí”, disse Xamã.

Os dois artistas falam sobre suas expectativas para esse lançamento: “Espero que a galera curta bastante. Foi um trabalho em que a gente se doou muito, em homenagem às nossas mães e mães adotivas que tivemos. É um trabalho muito doce e conceitual. Mostra um outro lado, uma outra atuação, outra música fugindo um pouco do universo do rap”, completou Xamã.

Agnes também comenta sobre o projeto: “Espero que esses singles atinjam pessoas de todas as idades. Esse EP tem amor, dor, sentimento. E eu acho que com sentimento (verdadeiro) nós conseguimos ir onde quisermos. Que todas as mulheres e todas as pessoas possam se identificar e se encontrar nesse EP”, disse a cantora, que também tenta eleger as suas músicas favoritas: “Se fosse para falar uma preferida, eu falaria a minha mãe (Cida) , mas aí eu lembro da Rosinha (Rose), que é minha outra mãe. Aí eu lembro da Dolores, que criamos baseada em mulheres que sofrem com repressão em relação à sua sexualidade. E depois eu lembro da Sônia, que foi feita com tanto amor, tanto sentimento, que eu acabo preferindo todas”, disse.

Agnes também não economiza elogios ao seu parceiro: “O Xamã é incrível como poeta, músico, ser humano. Ele é o melhor do mundo pra mim! Sempre serei grata a ele por ter surgido na minha vida e ter me abraçado tão forte. É demais a conexão que nós temos quando compomos juntos. É muito prazeroso e sentimental, porque o Xamã é extremamente sensível a tudo que acontece à nossa volta. Mesmo que ele não perceba, tudo pode virar um poema, tudo pode ser arte. Eu amo o Xamã de verdade”, disse a cantora.

Ouça “Cida”: