Álbum ‘Brasil Futurista’, do Coruja BC1, passa marca de 1 milhão de streams

Capa Coruja BC1

Marca foi bastante comemorada pelo rapper

O rapper Coruja BC1 liberou no dia 17 de novembro do ano passado o seu álbum, “Brasil Futurista”, que bateu nessa semana a incrível marca de 1 milhão de streaming. Com 13 e faixas e as participações de Margareth Menezes, RDD, Jair Oliveira, Lúcio Maia, Jonathan Ferr, Anchietx, Ed City, Larissa Luz e Lino Crizz. Brasil futurista sucede os álbuns Psicodelic (2019) e No dia dos nossos (2017) na discografia deste artista projetado há nove anos no segmento do hip hop com o lançamento da música Não posso murmurar (2012), cujo clipe despertou a atenção do mano Emicida em 2013.

Com faixas que fundem rock com maracatu, samba com house e soul com trap, em mistura que também abarca samba-rock e ritmos do Candomblé, o disco “Brasil Futurista” foi gravado com a intenção de reapresentar a diversidade musical nacional dentro do universo da música urbana, sobretudo do rap, com discurso que denuncia o abandono cotidiano do povo preto, pobre e periférico pelos poderes públicos.

Créditos: Coruja BC1

Anteriormente, em setembro, Coruja BC1 lançou a música “Tarot”. A faixa é uma reflexão sobre o amor e faz parte do álbum “Brasil Futurista”, que será lançado ainda esse ano. “Tarot fala de acertos e erros no jogo do amor, sobre feridas que às vezes criam bloqueios emocionais, mas acima de tudo a música fala sobre se permitir, e sobre cura.” explicou Coruja BC1.

O clipe narra momentos de um casal, interpretado por Sheick (Dançarino do Heavy Baile) e Ciana, através de uma sequência de fotos em time lapse. As sequências de imagens transportam o espectador para uma história leve e apaixonante. A direção é de Bárbara Figueiredo.

Confira o anúncio dos números:

Sair da versão mobile