Billie Eilish recebeu mais de R$ 100 milhões por documentário exclusivo

A cantora gravou o documentário após o lançamento de seu álbum de estréia.

Após os julgamentos e atribulações da fama adolescente, um documentário de Billie Eilish deve estrear na Apple TV+ em 2020. O projeto, que tinha um orçamento de US$ 1 milhão a US$ 2 milhões, foi um esforço colaborativo entre o diretor RJ Cutler e a gravadora Interscope Records, de Billie, que o produziu. O filme convida os espectadores para a vida agitada de Billie enquanto ela lida com o sucesso de seu álbum de estréia, When We All Adormate Where Do We Go? e o estrelato que veio com ele.

De acordo com o The Hollywood Reporter, “Cutler teve acesso profundo aos momentos privados de [Billie] com a família e os bastidores de suas aparições públicas”. O documentário será uma excelente oportunidade para os fãs verem um lado ainda mais vulnerável e honesto de Billie do que ela já apresenta. Mas para isso, a Apple precisou desembolsar 25 milhões de dólares, mais de 100 milhões de reais.

O sucesso de Billie com a Apple foi extenso este ano. Ela teve o álbum mais transmitido na Apple Music e no Spotify. Ela também foi nomeada Artista do Ano da Apple Music e ganhou o prêmio Álbum do Ano, além de compositora do ano com seu irmão/parceiro de composição, Finneas. Ela até encabeçou o primeiro Apple Music Awards na noite de quarta-feira no Steve Jobs Theatre, em Cupertino, Califórnia, com uma apresentação global transmitida ao vivo exclusivamente na Apple Music.

O documentário, no entanto, será lançado pela plataforma de entretenimento da Apple, a Apple TV+, em vez do serviço de streaming da Apple Music.

 

Relacionados