Borges fala sobre falta de reconhecimento da lírica da nova geração do Rap

Escrito por André Bernardo 01/04/2022 às 21:30

Foto: Divulgação
  • Facebook
  • WhatsApp
  • X (Twitter)
  • ícone de compartilhar

Borges já se arriscou em duas “músicas de mensagem”

Hoje, Borges, ou BG, como é conhecido no cenário do rap nacional, já participou da sequência “Assault” e também lançou o seu tão aguardado álbum “Intocável”. Cria da Pavuna, na zona norte do Rio de Janeiro, ele conseguiu colocar diversas faixas em alta no último ano, incluindo “Lei Áurea”, “Onda do Lança” e “C-Walk2”, mas foi “Ak do Flamengo” que consagrou Borges como um dos principais nomes da cena urbana nacional.

Nessa semana ele fez um desabafo em sua conta no Twitter sobre não ser tão valorizado assim:”Já escutei da boca de um dos maiores rappers da história que ‘Sodoma e Gomorra’ e ‘Lei Áurea’ é top 20 melhores rap da história do rap nacional, mas não iam reconhecer isso porque sempre querem diminuir o talento da nova geração. Bagulho doido, por isso que voltei pra putaria mesmo e f*da-se”, falou Borges.

Capa Borges

Recentemente Borges foi para as suas redes sociais comemorar muito o fato de em apenas dois dias ele ter conseguido dois milhões de visualizações no clipe de “iPhone Branco”. Ele também alcançou um  patamar de destaque nacional. O clipe foi para a primeira posição dos vídeos em alta no Youtube. Ele passou grandes nomes da música brasileira Ludmilla, Luisa Sonza, Gloria Groove, Alok e Luan Santana.

A música que já teve prévias postadas pelo próprio artista, e que inclusive deu uma palinha no especial do Podpah, na final da libertadores do ano passado entre Flamengo e Palmeiras, era esperada por muitas pessoas. Borges inclusive queria muito conseguir colocar o Caio Castro no clipe.

Confira o post abaixo:

ícone

Recomendados para você