Casa do Hip-Hop do RJ: Atividades sociais, parceria com a 1 Kilo e a realização de um sonho

Escrito por Fellipe Santos 02/04/2018 às 16:39

Foto: Divulgação
  • Facebook
  • WhatsApp
  • X (Twitter)
  • ícone de compartilhar

A cena hip-hop do Rio de Janeiro está perto de receber um cantinho para chamar de casa.  A informação de que a Casa do Hip-Hop do Rio de Janeiro estava saindo do papel foi divulgada no Facebook de Taz Mureb, artista e coordenadora geral do projeto.

A primeira casa de hip-hop do estado surge através de uma parceira entre a banca 1 Kilo e a Casa do Hip Hop de Esteio, no Rio Grande do Sul. Durante um encontro, Rafa Rafuagi, rapper e idealizador do espaço cultural gaúcho e Pablo Martins, linha de frente da 1 Kilo, foi debatido a ideia de levar o conceito de espaço cultural para um dos estados mais importantes do país.

Os responsáveis pela ideia, ainda montando o time que irá colaborar com a casa, convidaram Taz Mureb para coordenar o projeto e ajudar no desenvolvimento das atividades mais burocráticas.

O Portal Rap + entrevistou Taz Mureb na noite do domingo de páscoa (1). Taz contou como surgiu o convite para fazer parte do espaço cultural, comentou a parceria com a 1 Kilo e explicou como irá funcionar as atividades da casa.

RAP MAIS: Quais foram os primeiros passos para o projeto sair do papel?

A gente fez uma reunião no Ministério Público do Rio Grande do Sul, onde foi marcada um encontro o com a Procuradora Geral do Rio de Janeiro. Na reunião, apresentamos o projeto e ela adorou.

R+: Você já tem uma ideia das atividades que serão oferecidas pela casa?

Os projetos serão de arte e educação. Como se fosse uma escola do hip hop. Vai ter curso de ‘mc’ trabalhando linguagem, curso de DJ, curso de grafite, artes visuais, break e outras expressões de dança. Vai ser um projeto trabalhando os elementos do hip hop como forma de ressocialização e até  e capacitação técnica/profissional.

R+: Capacitação técnica e profissional? Você pode nos detalhar essa ideia?

A gente já fechou uma parceria com SEBRAE para promover capacitação dos adolescentes que frequentarem a casa. A ideia é direciona-los para o mercado de trabalho. É um processo tanto de arte-educação como de capacitação profissional.

R+: Vocês conseguiram a liberação da verba para ‘tocar’ o projeto? 

A gente já assinou os primeiros documentos no Ministério Público do estado e estamos aguardando a liberação da verba inicial que deverá sair no mês de maio.

R+: Tem uma estimativa de quando a casa será inaugurada? 

O nosso cronograma é o seguinte: maio liberação da verba, junho a gente entra na casa para organizar tudo e a partir de julho, segundo semestre, o projeto já está funcionando.

R+: Qual o nível de envolvimento da 1 Kilo no projeto?

Quem tá apoiando a gente nessa correria é o pessoal da 1 Kilo. Eles abraçaram o projeto e ‘entrou’ com os custos iniciais de deslocamento para as reuniões. Eles vão apoiar o projeto.

R+: Como você se sente sendo uma das articuladoras de uma ideia importantíssima para a cultura hip-hop no RJ?

Pra mim é um sonho de vida. É um projeto de vida. Cair no meu colo assim, depois de eu já ter feito varias correrias para tentar fazer isso na minha cidade, em Cabo Frio. E agora partir de uma iniciativa do pessoal á do Sul pelo reconhecimento dos serviços prestados pelo hip hop do Rio de Janeiro.

 

O local onde será realizadas as atividades ainda não foi definido pela equipe de organizadores que trabalha para encontrar um espaço que atenda todas as demandas que o projeto pede.

A notícia da ideia da Casa do Hip-Hop do Rio de Janiero surge poucos dias após cinco jovens que organizavam diversos eventos culturais voltado para a arte periférica no estado serem brutalmente assassinados enquanto voltavam pra casa após saírem de um show de rap em Maricá, município da região metropolitana do Rio de Janeiro.

 

ícone

Recomendados para você