Seguir

Com shows de Rincon, Emicida, Rael e Caetano Veloso; Coala Festival rolou em SP no último sábado

Entre muitos ‘Fora Temer’ e pedidos de liberdade à Rafael Braga, aconteceu no último sábado (12) na cidade de São Paulo, mais precisamente no Memorial da América Latina, o Coala Festival 2017.

Com grande público o quarto show da noite foi, do muito comentado pela crítica, Rincon Sapiência. Antes mesmo de subir ao palco, Rincon já chamava a atenção, já que a bateria da banda que se apresenta com ele trazia a mensagem “Liberdade Rafael Braga”. O rapper mostrou-se cheio de energia, movimentando-se muito no palco e buscando interagir constantemente com o público, enquanto apresentava faixas da sua carreira. Rincon deu prioridade para músicas do seu recém lançado álbum “Galanga Livre”, disponibilizado nos serviços de streaming em maio.

Seguindo a mesma linha de Rincon, quem se apresentou na sequência foi Emicida, que entrou ao som da música tema do filme “Rocky Balboa” e abriu com “Zica Vai Lá”. O rapper, acompanhado de sua banda e do seu parceiro DJ Nyack, faz uma performance singular. Com começo dos shows sempre agitados e que mostram um lado de forte entrega por parte dele, e dessa vez não foi diferente. Aliás, por falar em diferença, essa apresentação não foi só dele: o paulista contou com a presença e performances do seu amigo Rael, que trouxe alguns hits da sua carreira, e do irmão Fióti, com sua voz potente e afinada.

Por fim, o derradeiro show de Caetano Veloso. A apresentação dele começou dessa forma, com apenas algumas pessoas cantarolando baixinho. Ao mesmo tempo, havia um lado animado e bem-humorado, até mesmo com um problema que deu no som em um determinado momento. As faixas eram amplamente conhecidas e as mais populares se transformaram em festa, para uma plateia tão nova e diferente dos shows que estamos acostumados a ver em ambientes fechados com mesas e cadeiras. O show se encerrou às 22h e passeou por toda a sua carreira, com pontos altos em músicas como “A Luz de Tieta”, “Um Abraçaço”, “O Leãozinho” e “O Quereres”.