Seguir

Diddy afirma que Grammy nunca respeitou a música negra e o hip-hop

Diddy fez uma declaração poderosa durante seu discurso na Clive Davis Pre-Grammy Gala.

Diddy foi o vencedor do Grammy de Saudação aos Ícones da Indústria em 2020 na Clive Davis Pre-Grammy Gala na noite de sábado, e o OG do hip hop usou seu discurso como uma oportunidade para lançar luz sobre a ampla gama de artistas negligenciados na indústria. Após uma performance em homenagem a vários artistas próximos a Diddy, incluindo Faith Evans, Ma$e, Lil’ Kim e seu filho, King Combs, Diddy subiu ao palco para aceitar a honra que resultou em um discurso de 50 minutos.

Embora ele tenha se concentrado principalmente em sua própria vida e carreira durante a maior parte do tempo, perto do final do discurso, Diddy fez a escolha ousada e admirável de criticar a Academia de Gravação por suas principais omissões musicais ao longo dos anos, especificamente de artistas negros.

“Há algo que eu preciso dizer ao Grammy, e digo isso com amor”, ele anunciou. “Todo ano, vocês estão nos matando, cara. Estou falando de todos os artistas aqui, os produtores, os executivos. A quantidade de tempo que leva para fazer esses projetos, para derramar seu coração nele. E nós apenas queremos um jogo equilibrado. Nas grandes palavras de Erykah Badu, ‘somos artistas e somos sensíveis ao nosso trabalho. Somos apaixonados. Para a maioria de nós, isso é tudo o que temos. Esta é a nossa única esperança.”

Diddy então resumiu de maneira abrangente seu argumento em duas declarações poderosas: “Verdade seja dita, o hip-hop nunca foi respeitado pelos Grammys. A música negra nunca foi respeitada pelos Grammys.”

A multidão aplaude enquanto ele faz referência ao tumulto atual em torno do Grammy, após a repentina decisão da Academia de colocar sua presidente e CEO, Deborah Dugan, em licença administrativa depois de receberem uma “alegação formal de má conduta por uma mulher membro sênior.” Deborah acusou a Academia de sua própria má conduta, o que inclui a manipulação dos eleitores, má gestão financeira, assédio sexual e discriminação de gênero. Diddy falou como sempre houve problemas dentro da Academia, que inclui uma longa história de exclusão de música negra de sua consideração.

“Então, agora, com esta situação atual, não é uma revelação. Essa coisa está acontecendo, e não está apenas acontecendo na música. Está acontecendo nos filmes, nos esportes, no mundo todo. E, durante anos, permitimos que instituições que nunca tiveram nossos melhores interesses nos julgassem, e isso acaba agora. Estou oficialmente iniciando o relógio: você tem 365 dias para resolver esse problema”, declara Diddy, desafiando a Academia a mudar sua forma de operar para melhor.

“Precisamos que os artistas voltem ao controle, precisamos de transparência, precisamos de diversidade. Essa é a sala que tem o poder de forçar a mudança que precisa ser feita. Eles têm que fazer as mudanças para nós: eles são uma organização sem fins lucrativos que deve proteger o bem-estar da comunidade musical. É o que diz a declaração de missão. Eles trabalham para nós. Vai levar todos nós para fazer isso. Estou aqui pelos artistas, então me apoiem.”

Confira alguns trechos do discurso de Diddy abaixo.

https://www.instagram.com/p/B7ysfGOhNzN/?igshid=sfu9pvcaffjo