DJ Caique se decepciona com pouca divulgação de seu álbum apenas com mulheres e pessoas trans

DJ Caíque

Dj Caique fez uma certa cobrança pra cima da cena

Conforme noticiamos na última semana, Dj Caique lançou o álbum “Força Motriz”, composto somente com participações de mulheres e pessoas trans. O projeto traz 13 faixas, que passeiam pelo Rap, RnB, Soul, Jazz e Trap, com as participações de Souto Mc, Boombeat, Serena Ramos, Mel Dominguez, Indy Naíse, WinniT, Yasmin Olí, Bia Doxum, SoulRa, Dani Zenker, Nanda Effer, Nathy Mc, RAP Plus Size, Killa Bi e Dory De Oliveira.

Porém, o álbum que era para ter uma repercussão sem precedentes, não teve muita divulgação pelos artistas do rap: “As mesmas pessoas que cobram a @pnplstorm de por mais mulheres nos projetos, com certeza, não deram stream em “Força Motriz”, do @DjCaiqueOficial  um álbum apenas com mulheres e pessoas trans. vocês querem espaço e valorização das minas na cena ou só reclamar mesmo?”, disparou Guilherme, um internauta que teve o complemente do DJ Caique em seu desabafo.

“Posso contar nos dedos de uma mão os artistas da ‘cena’ que tem já um reconhecimento e que divulgaram o disco novo que eu lancei, e nem é por mim, e sim pela causa e pelo projeto em si. Vários batem no peito pra falar de HIP HOP mas não vivem isso na prática”, falou o produtor.

DJ Caíque  é referência na produção musical nacional desde que iniciou sua trajetória no RAP como DJ nos anos 2000, produzindo seus próprios beats o profissional vem trabalhando em projetos expressivos até os dias atuais em colaborações com inúmeros artistas como por exemplo: MV Bill, Rashid, Projota, Djonga, Nocivo Shomon, Rodrigo Ogi, Coruja BC1 e muito mais.

Confira a fala do rapper:

Sair da versão mobile