Emicida, Bivolt, Rashid, Mc Taya e mais reagem após governo excluir atividades artísticas do MEI

12

Resolução do Ministério da Economia foi publicada nesta sexta; cantor, músico, DJ e instrutor de arte são algumas das categorias atingidas

O Governo Brasileiro pegou diversos artistas independentes de surpresa após ser divulgada a Resolução nº 150, publicada no Diário Oficial da União (DOU) na sexta-feira pelo Ministério da Economia, que exclui uma série de ocupações ligadas à cultura do sistema de Microempreendedor Individual (MEI), a partir de 1º de janeiro.

Foram excluídas 17 ocupações, dentre elas seis ligadas diretamente ao setor cultural: Cantor/Músico Independente; DJ/VJ; Humorista/Contador de Histórias; Instrutor de Arte e Cultura/ Instrutor de Música, afetando diretamente diversos artistas independentes pelo Brasil e causando grande revolta.

O rapper Emicida, um dos grandes nomes do Rap Nacional, se pronunciou através de sua conta no Twitter sobre a resolução. “Criminoso excluir atividades artísticas e culturais do MEI. Empurra mais gente ainda para um lugar obscuro sem chance de emancipação econômica baseada em seus maiores talentos. Eu não sei o que te levou a votar, mas a essa altura já dá pra chamar esse governo de catástrofe assassina.” publicou o rapper

Outro artista que se pronunciou foi a jovem Mc Taya, que pareceu bastante irritada. “Você, MC de merda que vota en bolsonaro, artistinha independente cuzão que fez campanha 17. Obrigada por fuder todos os profissionais independente da arte e da cultura com a exclusão das profissões do MEI. Vai fazer showzin e tirar nota fiscal do cu pra receber cache agora.” disse a artista que está dando os primeiros passos na sua carreira este ano.

O rapper Rashid divulgou uma petição para anular a decisão do governo, “Vamos recolher o máximo de assinatura para pressionar Rodrigo Maia de pautar a votação de um PDL anulando esse decreto absurdo e cruel com artistas de todo o Brasil.” diz a petição que já conta com mais de 30 mil votos.

Vale destacar que na industria Cultural a maioria ds pessoas são contratadas via MEI, que é por onde eles fazem os contratos e recebem seus respectivos cachês. “Sem MEI ,fica impossível produzir arte no Brasil.Não tem como emitir uma nota fiscal para o contratante, por exemplo. Acabou o empreendimento dos artistas em todos os seguimentos. Me pergunto, como pode, alguém que trabalha com arte e cultura apoiar esse tipo de governo?” disse um usuário

Veja abaixo algumas reações.