Emicida lamenta morte de Erasmo Carlos

Emicida fez questão de homenagear um dos nomes mais importantes da história da música brasileira

Um mestre, um gênio e um ser humano maravilhoso. Essas foram algumas palavras utilizadas pelo rapper Emicida para descrever o sentimento com a morte de Erasmo Carlos. Além do talento único nos acordes da guitarra, o cantor também se tornou querido pela gentileza transmitida por onde passava e, nesta terça-feira (22),  o artista homenageou o tremendão.

“Hoje é dia de dar adeus ao nosso gigante gentil. Um mestre, um gênio e um ser humano maravilhoso que tive a alegria de primeiro ser fã, depois ser parceiro e no final ser amigo. Obrigado mestre, nosso mundo continua a girar, porém mais triste, pois você é insubstituível”, escreveu Emicida em uma publicação onde ele está numa foto com o lendário rockeiro.

Até os tempos atuais, o músico seguia na ativa em sua carreira musical, e era uma figura sempre presente publicamente e em suas redes sociais, sempre se posicionando sobre situações do dia a dia e, com isso, mantinha ainda uma legião de fãs, e surpreendentemente não limitados apenas às pessoas mais velhas.

Erasmo Carlos já tinha uma carreira musical muito bem consolidada, tendo iniciado todo seu envolvimento artístico há mais de 60 anos, em 1958.

Pioneiro do rock nacional, Erasmo teve mais de 50 anos de estrada, embalados por mais de 500 canções que marcaram épocas, como “O Bom”, “É preciso Saber Viver” e “Além do Horizonte”. Sucessos atemporais regravados diversas vezes ao longo das décadas.

Confira o post abaixo:

Sair da versão mobile