Emicida foi entrevistado da noite no tradicional programa Roda Viva da TV Cultura.

Em entrevista ao Roda Viva, desta segunda-feira (27), o rapper Emicida falou, entre diversos assuntos, da postura do Brasil frente a pandemia provocada pelo novo coronavírus, do posicionamento politico do hip-hop e precisou rebater uma pergunta sobre a ligação do Rap com o crime organizado.

Quando perguntado: “O rap é condescendente com o crime organizado?”, o rapper foi firme e preciso em sua resposta. “Isso é uma análise bastante preconceituosa. Desde quando narrar crime faz de você um apologista? Se for isso, tem que pegar o Datena, que empurra isso guela abaixo na sociedade e é entendido como jornalismo.” começou Emicida antes de finalizar. “Apologia ao crime é o modo como o brasileiro vive”. Confira a resposta completa no final da matéria.

Emicida também falou sobre o lado politico do hip hop. Um dos entrevistadores do programa argumentava que o hip hop já esteve mais organizado e engajado, citando um encontro de rappers com o ex-presidente Lula. Em sua resposta, Emicida destacou que o hip hop é também um movimento político, lembrando que muitos dos pioneiros no Brasil defenderam bandeiras identificadas com a esquerda.

O rapper afirmou acreditar que o hip hop não deve perder essa característica política, mas não vê condições de diálogo com Bolsonaro.