Fãs esgotam NFT brasileiro em minutos após Snoop Dogg divulgar o produto

Snoop Dogg influenciou diretamente nas vendas e no recorde

No dia 11 de outubro, durante a madrugada, um usuário do Twitter nomeado Cozomo de’ Medici divulgou um CryptoRasta por meio de um tuite e instigou os seus seguidores a fazerem o mesmo. O dono da conta era nada mais nada menos que o rapper Snoop Dogg. Após o anúncio, o restante das 6.000 NFTS da coleção foi vendido em horas.

Antes do meio-dia, os 10.220 CryptoRastas, da primeira idealização do projeto brasileiros de tokens não fungíveis, já estavam dispersos pela rede. Nesse mesmo dia, um modelo da coleção foi vendido por 6,9 ETH, ou seja, 136 mil reais no mercado secundário, tornando-se o maior valor pago por um NFT da coleção até o momento.

Inspirado na coleção de NFTs Cryptopunks, o DJ Marcus MPC, fundador do sound system brasileiro, o Digitaldubs, criou o CryptoRastas no final de agosto. O preço dos certificados digitais era de 0,05 ETH (R$ 1.050).

Apesar do bom começo, com a venda de um terço da coleção, após algum tempo de venda, o negócio foi diminuindo. MPC afirma que essa situação é gerada pela natureza do mercado, que funciona em cima do hype, ou seja, o assunto que está na moda.

Porém com o sucesso gerado pelo comentário de Snoop Dogg, o próximo passo é o primeiro leilão de CryptoRastas que acontecerá ainda em outubro, com avatares oficiais de 200 figuras do reggae mundial, todas estando envolvidas diretamente com a coleção.

Alguns dos exemplos são o lendário produtor Lee ‘Scratch’ Perry, que morreu no dia do lançamento, e Sly & Robbie, duo icônico do gênero. Essa coleção será lançada em lotes com o preço inicial de 1 ETH (R$ 21 mil) por cada CryptoRasta.

Sair da versão mobile