GTA 6: Destaques da saga Grand Theft Auto que precisam retornar no novo jogo

Capa GTA 6

Foto: Reprodução

Os clássicos jogos Grand Theft Auto da Rockstar continham muitos recursos inovadores que nunca mais foram vistos, mas devem voltar no GTA 6.

A Rockstar Games construiu uma reputação ao definir o nome de seu sucesso como GTA. Quando os jogadores viram pela primeira vez a cidade de Liberty City em Grand Theft Auto 3 de 2001, poucos poderiam ter previsto que seria apenas o começo de uma série que continua a ultrapassar os limites da imersão, escala e liberdade do jogador. Como desenvolvedor, a Rockstar nunca gostou de refazer o trabalho de títulos anteriores, preferindo criar novas mecânicas e refinar suas melhores ideias para cada lançamento. GTA 6 está atualmente em produção e provavelmente aumentará ainda mais.

No entanto, através da evolução contínua da Rockstar E da franquia Grand Theft Auto, muitos recursos foram deixados para trás que vale a pena explorar novamente. A trilogia original de Grand Theft Auto e GTA 4 eram clássicos por um bom motivo. À medida que a versão número 6 aparece no horizonte, a Rockstar Games deve olhar seu antigo catálogo e observar alguns dos melhores recursos que ficaram no passado.

Forma física dinâmica


Uma característica única de Grand Theft Auto: San Andreas foi a capacidade de alterar a composição corporal de CJ em torno de estatísticas que mudam dinamicamente. Se os jogadores optarem por escolherem o personagem  no “físico de um gângster”, eles teriam que passar vários dias em academias em San Andreas completando minijogos de fisiculturismo ou correndo em uma esteira. Se eles preferissem gastar seu tempo como Big Smoke pedindo tudo no cardápio do Cluckin Bell, isso criaria um CJ pesado que se cansa mais rápido e tem menos resistência.

À medida que as estatísticas de CJ mudaram, o corpo dele também mudou, que é um conceito pouco explorado em outros jogos. O GTA 5 reintroduziria estatísticas de personagens para um jogador, aumentando gradualmente a precisão e a resistência à medida que mais jogadores usassem armas e corressem por Los Santos. Ainda assim, eles nunca representaram visualmente qualquer mudança no personagem. Com GTA 6, seria uma ótima ideia trazer de volta modelos de jogadores dinâmicos que reflitam as alocações atuais de estatísticas.

Diversos estilos de luta

 

Antes que os jogadores possam colocar as mãos em rifles totalmente automáticos, RPGs e quaisquer outras armas malucas que a Rockstar tenha reservado, eles começam sua jornada apenas com os punhos. A história da gangue de rua de Grand Theft Auto: San Andreas entendeu a necessidade de uma mecânica corpo a corpo aprofundada e ainda se destaca como o melhor combate da franquia. CJ pode encontrar treinadores em cada academia que o ensinam a se tornar um especialista em várias disciplinas de luta, incluindo Boxe, Muay Thai ou Tae Kwon Do.

Títulos recentes de GTA deixaram o combate corpo a corpo para trás em troca de mais armas e melhores mecânicas de tiro, mas a Rockstar deve se esforçar para ter um melhor combate no GTA 6. Jogos como “For Honor” e “Guilty Gear” provam que jogos de luta com mecânicas profundas são mais populares do que nunca. Faria sentido dar aos jogadores um sistema corpo a corpo com mais liberdade de escolha, especialmente considerando o nível tecnicamente impressionante de animação que a Rockstar apresentou. Além disso, os fãs do GTA Online provavelmente aproveitariam a oportunidade de criar torneios de luta se o combate fosse mais robusto e variado.

Física da euforia

Quando os jogadores viram GTA 4 pela primeira vez em 2008, era diferente de tudo o que tinham visto antes, graças ao Euphoria Engine da Rockstar. Parte do que torna Grand Theft Auto tão impressionante é como os jogadores interagem com o mundo e como ele responde dinamicamente a eles. A física Euphoria do GTA 4 levou esse conceito para o próximo nível. Nico voava pelos pára-brisas após um acidente em alta velocidade, ou se enrolava em uma bola ao cair de um lance de escadas, imitando realisticamente os efeitos da inércia e da gravidade.

Grand Theft Auto 5 e Red Dead Redemption 2 manteriam a física Euphoria da Rockstar, mas esses títulos mais recentes a reduziriam. Os jogadores não podem mais cair de um lance de escadas, e acidentes de carro terminam em paradas abruptas. A empresa seria sensata em restabelecer os sistemas de física imprevisíveis do GTA 4 em Grand Theft Auto 6 para criar ainda mais um mundo realista e dinâmico.

Ativos e propriedades compráveis.

O setor imobiliário e de aquisição de ativos sempre fez parte do Grand Theft Auto, mantendo suas histórias de pobreza à riqueza. Notavelmente, os impérios criados por jogadores do GTA Online são alguns dos mais expansivos da série. No entanto, o single-player do GTA nunca atingiu o mesmo nível de profundidade que Vice City fez em 2002.

A visão única de Vice City sobre imóveis veria Tommy comprando uma propriedade para coletar renda, e cada negócio recém-adquirido apresentaria histórias inteiras onde ele gradualmente construiria seu império.

Se GTA 6 se propõe a criar outra narrativa da pobreza à riqueza com um forte foco na história pela qual a Rockstar Games é conhecida, seguir os passos de Vice City seria uma boa jogada. Grand Theft Auto 6 deve retornar ao jogo de investimento imobiliário, mas desta vez dando um passo adiante, explorando os personagens que trabalham sob o protagonista.

Além disso, os jogos recentes da Rockstar foram criticados por sua linearidade, pois os jogadores pulam a missão da história principal, rejeitando as missões secundárias a encontros aleatórios. Ao criar objetivos novos e emocionantes como Grand Theft Auto: Vice City fez com suas histórias paralelas centradas nos negócios, a Rockstar Games pode quebrar muito do fluxo linear do GTA.

Várias cidades.

Os jogos Grand Theft Auto cresceram em escala ao longo dos anos. A bela versão do GTA 5 de Los Santos supera todos os outros jogos da série e é uma verdadeira conquista técnica. No entanto, os títulos GTA recentes não têm a variedade de cidades e a grande escala que San Andreas alcançou na era PS2. Para a época, San Andreas era um mapa colossal comercializado como o estado totalmente explorável de San Andreas. Essa versão do game apresentava cidades totalmente realizadas, incluindo Los Santos, San Fierro e Las Venturas, além de campos, cordilheiras e um deserto. Para GTA 6, a Rockstar Games deve seguir este plano.

A Rockstar Games provou que poderia criar um mundo vasto e variado com Red Dead Redemption 2, chegando ao ponto de adicionar o mapa de Red Dead 1 ao mundo já considerável de Red Dead 2. Com GTA 6, os jogos da Rockstar têm a oportunidade de pegar seus mundos expansivos e colocar várias cidades espalhadas por eles, criando outro mundo aberto que define o gênero, como San Andreas fez tantos anos atrás.

Sair da versão mobile