Gucci Mane é acusado de homicídio culposo após jovem morrer baleada em show de seu artista Foogiano

58

O tiroteio começou durante a apresentação de Foogiano, matando Bell e um segurança de 51 anos chamado Clarence Sterling Johnson.

Após um tiroteio em uma boate da Carolina do Sul no mês passado, os rappers Gucci Mane e Foogiano de Atlanta foram nomeados em um processo por homicídio culposo. De acordo com a Associated Press, a ação foi movida pelo espólio de Mykala Bell, de 23 anos, que foi mortalmente baleada durante um show em 5 de julho. Bell estava perto do palco quando tiros foram disparados no início da manhã no Lavish Lounge.

O tiroteio começou durante a apresentação de Foogiano, matando Bell e um segurança de 51 anos chamado Clarence Sterling Johnson. Oito outros expectadores teriam ficado feridos. Jarquez Kezavion Cooper, de 22 anos, foi posteriormente acusado pelo que as autoridades relataram ser um incidente relacionado a gangues.

Gucci e Foogiano estão sendo incluídos no processo porque os espectadores não foram supostamente revistados antes de entrar no evento. “Como resultado, pessoas perigosas foram permitidas dentro do clube com armas letais”, afirma o processo.

Gucci não se apresentou, mas foi incluído como um suposto promotor associado ao show. O processo também cita os “proprietários, gerentes, operadores, autônomos e/ou empresas de segurança” da Cooper e do Lavish Lounge por negligência. A família de de Bell alega que todas essas partes falharam em fornecer segurança adequada e “atividade criminosa [permitida]” que resultou na morte da mãe de dois filhos.

De acordo com o Greenville News, o espólio está buscando danos gerais, especiais, compensatórios, consequenciais, econômicos e punitivos disponíveis de acordo com a lei da Carolina do Sul. Em termos leigos, eles estão pedindo muito dinheiro..