Homem que matou pai de Nicki Minaj atropelado se declara culpado de duas acusações

Robert Maraj, pai de Nicki Minaj, foi morto em fevereiro de 2021 após ser atropelado

A família de Robert Maraj está se aproximando da justiça. Mais de um ano após a morte do pai de Nicki Minaj, seu assassino – um homem chamado Charles Polevich – entrou com um apelo, de acordo com o TMZ. O homem de 71 anos se declarou culpado de uma acusação após deixar a cena de um incidente sem relatar e uma acusação de adulteração de provas físicas, ambos crimes.

Foi observado que Polevich poderia enfrentar até sete anos atrás das grades, mas o juiz Howard Sturim se comprometeu a sentenciar o homem a “não mais de um ano de prisão, juntamente com serviço comunitário e suspensão de sua carteira de motorista”. Conforme relatado pelo Page Six, os promotores alegaram que o motorista atingiu Maraj enquanto atravessava uma rua em Mineola em 12 de fevereiro de 2021.

Foto: Reprodução

Polevich teria descido de seu veículo para perguntar à vítima se ele estava bem antes de fugir do local sem oferecer qualquer ajuda ou alertando as autoridades. A mãe de Minaj, Carol Maraj, processou o motorista por US$ 150 milhões na Suprema Corte estadual do condado de Nassau em março do ano passado. Na época, os advogados Ben Crump e Paul Napoli disseram: “Charles Polevich não era apenas irresponsável e negligente, mas ele estava mais preocupado em fugir e se esconder do que em procurar ajuda”.

“O comportamento de Polevich foi criminoso, covarde e imoral. Vamos responsabilizá-lo por suas ações imprudentes que levaram à morte de Robert Maraj!” A hitmaker de “Super Bass” também chamou a morte de seu pai de “a perda mais devastadora de [sua] vida”. Charles Polevich deve voltar ao tribunal para ser sentenciado em 3 de agosto.

Confira abaixo a postagem no Instagram e o vídeo no YouTube:

Sair da versão mobile