Após ser condenado em Nova York, julgamento de R. Kelly por pornografia infantil e obstrução da justiça em Chicago ganha data para acontecer

Capa R. Kelly

Foto: E. Jason Wambsgans/Chicago Tribune via AP/Arquivo

R. Kelly será julgado por acusações federais de pornografia infantil e obstrução da justiça em Chicago

R. Kelly foi condenado por acusações de extorsão em Nova York, mas seus problemas jurídicos estão longe do fim. A data do julgamento foi oficialmente marcada em agosto de 2022 para as acusações federais de Kelly em Chicago, que incluem pornografia infantil e obstrução da justiça. Diz-se que o juiz distrital dos Estados Unidos, Harry Leinenweber, queria determinar uma data de julgamento mais cedo, mas Steven Greenberg, junto com outro advogado de Kelly, tinha casos agendados para julho.

R. Kelly e seus dois co-réus, Derrell McDavid e Milton “June” Brown, ficaram sabendo que o julgamento deve durar de três a quatro semanas, através de seus advogados. Kelly estava ouvindo a teleconferência, embora ele não fizesse nenhum comentário. Antes de seu julgamento em 1º de agosto, Kelly retornará na frente de um juiz para sua sentença em Nova York em 4 de maio. O cantor enfrenta prisão perpétua relacionada às acusações de extorsão.

Foto: KAMIL KRZACZYNSKI AFP/File

Além das acusações federais em Chicago, Kelly enfrenta quatro acusações de abuso sexual em um tribunal estadual de Chicago. Ele também é acusado de ser o líder de uma rede de prostituição infantil em Minnesota.

Embora Kelly provavelmente nunca seja capaz de gravar novas músicas, foi relatado que houve um aumento nas vendas de seu catálogo de até 500% após sua condenação em Nova York. De acordo com a Rolling Stone, a música de Kelly teve um crescimento de dois dígitos em streams e um crescimento de três dígitos em vendas.

Na semana passada, o YouTube anunciou que estava removendo dois dos canais de vídeo oficiais de Kelly, RKellyTV e sua conta Vevo, no que a empresa descreveu como uma aplicação de seus termos de serviço. No entanto, o YouTube continuará a oferecer o catálogo da Kelly em seu serviço de streaming de áudio, o YouTube Music.

Apesar da polêmica, as transmissões de Kelly não foram afetadas nos últimos quatro anos. Em 2017, ele teve uma média de cerca de 5,4 milhões de streams de áudio on-demand por semana, e este ano aumentou para 6,4 milhões.

Sair da versão mobile