Vice-presidente da principal ONG americana pelos direitos dos animais foi a responsável pela crítica

Que Justin Bieber gosta de uma polêmica, ou ao menos não é dos melhores em se ver livre de confusões envolvendo o seu nome, todo mundo já sabe. A mais nova situação embaraçosa na qual o cantor está envolvido, no entanto, pegou muita gente de surpresa, tendo em vista que desta vez os responsáveis pelas críticas que vem recebendo são ninguém menos que seus gatos. 

Para quem não sabe, Bieber acaba de comprar dois gatos de raças exóticas pela bagatela de USD$ 35.000, chegando a até criar uma conta para os pets no Instagram e postar fotos adoráveis sempre que pode. Ainda assim, por mais fofo que seja, a atitude do cantor vem gerando críticas sobretudo de associações pelos direitos dos animais, que o acusam de contribuir para o crescimento da superpopulação de gatos selvagens nos Estados Unidos.

+Meek Mill revela ter “movimentos poderosos” com Eminem e JAY-Z a caminho

+Álbum “Jesus Is King” de Kanye West deve ser adiado

“Justin Bieber poderia inspirar os fãs que tem em todo o mundo adotando um gato de um abrigo de animais, ao invés de abastecer a perigosa demanda de gatos híbridos, contribuindo para a crise populacional de animais e provando que, quando o assunto é salvar animais, sua resposta é ‘Eu não me importo'”, disse para o site Page Six a Vìce-Diretora da PETA, uma das principais ONGs americanas pelos direitos dos animais.

Por mais inocente que possa parecer, a decisão de Justin Bieber de comprar gatos de raças raras envolve questões importantes para os Estados Unidos. Os pets comprados pelo cantor são proibidos em boa parte dos estados americanos por representarem um desequilíbrio à fauna local e terem predisposição a formar uma superpopulação de animais selvagens, o que seria muito negativo ao país. 

Confira os gatos comprados por Justin:

 

Ver essa foto no Instagram

 

My fam

Uma publicação compartilhada por Justin (@kittysushiandtuna) em