Kanye West acusa GAP de vender por R$ 1.000 camisa que ele desenhou para custar R$ 100

Kanye West teve muitos problemas durante sua colaboração com a GAP.

Kanye West terminou seu relacionamento com a Gap. Em uma nova entrevista, o rapper e designer acusou a varejista de roupas de usar seus designs de camiseta que ele projetou para serem vendidas por US$ 20 (R$ 100) e precificar os itens em US$ 200 (R$ 1.000).

De acordo com uma reportagem da CNBC, publicada na quinta-feira (15 de setembro), Kanye West rescindiu sua parceria com a Gap Inc e acusou a empresa de violar seu contrato. “A Yeezy notificou a Gap de suas preocupações em agosto e deu à empresa um prazo contratual de 30 dias para corrigir suas violações”, disse Nicholas Gravante, advogado de Kanye, à agência de notícias. O advogado acrescentou que a Gap não tomou nenhuma ação em suas queixas.

capa kanye

Em entrevista ao Closing Bell da CNBC, Ye acusou a Gap de várias violações de contrato, incluindo ser incapaz de definir os preços que ele queria em sua coleção. “E então eles realmente pegaram uma de suas camisas e a venderam por US$ 20 (sem o logo da Yeezy) e o preço dos itens da Yeezy Gap eram US$ 200”, disse ele no programa.

“Eu tinha um sonho de estar na GAP e fazer roupas para as massas. Foi muito frustrante. Foi muito desanimador, porque eu coloquei tudo o que tinha, coloquei todos os meus melhores relacionamentos. Consegui envolver Demma (Balenciaga), que é umas das marcas mais quentes do mundo.”, explicou Kanye. “Nossa agenda não estava alinhada.”

Isso ocorre depois que Kanye disse que estava pronto para deixar seus parceiros corporativos, Gap e Adidas. Houve também o infame vídeo de Kanye, onde ele fez um discurso irritado na frente dos executivos da Gap. Nesse vídeo, o produtor de Chicago alertou que levaria sua criatividade para outro lugar. “Eu amo a Gap… vocês tem que realmente me dar a posição de ser Ye e me deixar fazer o que estou pensando ou tenho que pensar em outro lugar”, alertou na ocasião.