Kanye West diz que tem ciúmes da cultura judaica e cita “tenho inveja de como eles não abortam seus filhos”

Durante as últimas semanas, as atitudes de Kanye West fez o rapper receber diversas críticas.

Kanye West abordou suas recentes declarações antissemitas em uma nova entrevista, desta vez, no entanto, explicando como ele tem ciúmes da cultura judaica. A descrição enviada com sua última conversa diz que Ye foi convidado a aparecer no Piers Morgan Uncensore especificamente para conversar sobre as declarações que ele fez ultimamente, incluindo sua afirmação de que George Floyd morreu de overdose.

Na metade da conversa acalorada, Kanye West disse que queria “abraçar todos os judeus” e explicou que estava com ciúmes de vários aspectos que associa à cultura judaica. “Tenho inveja de como eles não abortam seus filhos”, ele revelou. “Tenho inveja de como eles não atiram uns nos outros nas ruas e depois fazem rap sobre isso. Tenho inveja de como suas famílias ficam juntas. Tenho inveja que eles desligam seus telefones nas noites de sexta-feira e a família se reúne. Tenho inveja de como eles fazem negócios juntos. E eu quero isso para os judeus mais escuros, eu quero isso para os negros. Precisamos disso”.

Kanye West: 'The Shop' Scraps Episode After Rapper Uses “More Hate Speech & Extremely Dangerous Stereotypes” – Deadline
Foto: Gilbert Carrasquillo / GC Images / Getty Images

As declarações lembraram comentários semelhantes feitos em sua controversa aparição no Drink Champs, que desde então foi excluído do REVOLT e de todas as plataformas de streaming. Durante sua conversa com Piers Morgan, Kanye West também disse que acredita que deveria estar mais consciente das maneiras pelas quais expressa suas opiniões. “Sinto que minhas palavras exigem mais sensibilidade para a frequência em que estou operando e a quantidade de pessoas com quem estou me comunicando”, disse Ye. “E eu assumo essa responsabilidade agora”.

Ainda assim, ele continuou dizendo que se suas opiniões tivessem sido compartilhadas com mais sensibilidade, isso não teria criado espaço para as críticas que ele vem tendo ultimamente. O rapper acrescentou que essas conversas lhe deram a oportunidade de provar por que “a esquerda” deveria apoiá-lo em uma futura candidatura política, ao mesmo tempo em que afirmou que não tinha liberdade para dizer se estaria concorrendo a um cargo.

O rapper de “Power”, no entanto, implorou às pessoas nos EUA e no Reino Unido para apoiar quem quer que seja o próximo líder de cada país, pois ele acredita que as críticas públicas prejudicam qualquer líder político. Ye também levou o crédito pelo desdém que várias celebridades mostraram abertamente ao ex-presidente dos EUA, Donald Trump.

“Quando ouço pessoas como John Legend e Chrissy Tiegen falarem mal do presidente, eu fico tipo, ‘Uau, isso meio que parece comigo. Isso meio que soa como o teleton’”, disse West. “Eu abri esse nível de desrespeito para com nossos líderes. E a esquerda viu isso e disse: ‘Bem, vamos fazer todas as celebridades fazerem o que Ye fez no teleton. Então eu assumo a responsabilidade por esse momento”.

Embora Kanye West não seja estranho ao receber críticas como resultado de suas opiniões polarizadoras, sua última rodada de declarações controversas parece ter sido a mais impactante até o momento. Nas últimas semanas, sua conta no Instagram foi suspensa e sua conta no Twitter está bloqueada por fazer postagens antissemitas enquanto enviava mensagens de texto para Diddy.

Confira abaixo o vídeo no YouTube:

The Kanye 'Ye' West Interview With Piers Morgan