Seguir

LEALL viraliza com prévia de seu novo álbum onde afirma que um ex-presidiário faz parte da Rock Danger

LEALL tem aumentado as expectativas de seus fãs para o lançamento de seu segundo álbum.

Fundada no ano de 2021 pelo empresário Ycaro Torres com os seus sócios Major RD e DJ Natan, a Rock Danger, desde então, vem se estabelecendo como uma das principais gravadoras do cenário do rap nacional, explorando o gênero do movimento hip-hop, além do grime, drill e mais. O mais novo artista contratado é Nochica, que lançou a faixa ‘Colômbia‘.

Nos últimos dias, LEALL liberou a prévia de uma das tracks integrantes do próximo e segundo álbum solo de sua carreira, que tem previsão de lançamento para este ano. “Botando essa vibe / É o crime e a música / É que a minha mente é uma startup / Eu sou o CEO dessa porra / Dois passos a frente, sempre diferente / Nós não veio a toa / É o crime e a música/ A proximidade do estúdio com a boca / Aumente a produção / Seguindo os mandamentos que as favela ecoa / Então faça dinheiro, se mantenha vivo / Pelo que acredito, faça sua escolha / Por um bom motivo / Uma casa no morro e um apê na Lagoa / É pelas criança, os mais velho responsa / Bem mais que o dinheiro, o bem estar da coroa / Um brinde a liberdade, ex-presidiário na minha gravadora“, canta ele.

Além de fazer comparações entre distintos acontecimentos que tem vivenciado devido ao seu avanço financeiro e musical, o rapper nascido e criado em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio de Janeiro, cita também um curioso assunto, que, inclusive, repercutiu grandemente entre os internautas. O artista, ao dizer que tem um ex-presidiário em sua gravadora, está se referindo ao rapper GTA, que recentemente lançou o single ‘Crime News‘ através da Rock Danger.

Tendo ficado preso por mais de sete anos por um crime que não cometeu, acusado de resistir a uma abordagem e ser detido por desacato às autoridades, GTA é, inclusive, idealizador da Roda Cultural da Central do Brasil, que ganhou destaque no ano de 2018.

Ele tomou uma iniciativa tida como ousada e não só levou o movimento para a Praça dos Cajueiros, na Central do Brasil, como revitalizou o local que, até então, estava abandonado pelo poder público, sendo ponto de uso de drogas.

Veja abaixo: