Um novo estudo da Universidade de Lethbridge, em Calgary, Canadá, explorou os benefícios da cannabis em relação ao coronavírus.

Embora a indústria da cannabis, como muitas outras indústrias, tenha sofrido com a pandemia de coronavírus, houveram relatos sobre um aumento no consumo. Um estudo realizado pela americanmarijuana.org descobriu que 49% dos 990 participantes estocaram cannabis durante a pandemia. Desses 49%, o estudo revela que 55% dos consumidores estocaram maconha para acalmar sua ansiedade durante a pandemia.

De acordo com o Calgary Herald, um pesquisador canadense descobriu que poder haver benefícios ainda maiores da cannabis para combater a pandemia de coronavírus, além de aliviar a ansiedade. O Dr. Igor Kovalchuk estudou 400 variedades de cannabis para encontrar cerca de uma dúzia que poderiam potencialmente bloquear os criadouros do vírus. Agora, pesquisadores da Universidade de Lethbridge estão procurando concentrar essas linhagens para explorar as possibilidades de que possam realmente impedir a COVID-19.

“Vários deles reduziram o número desses receptores (vírus) em 73%, a chance de entrada é muito menor”, disse Kovalchuk. “Se eles podem reduzir o número de receptores, há muito menos chances de serem infectados.”

Ainda existem algumas barreiras que os pesquisadores enfrentam nessa descoberta, incluindo a realização de um ensaio clínico devido ao impacto do distanciamento social na economia da maconha. No entanto, sob a licença da Health Canada, eles usaram tecido 3D humano artificial para descobrir como a cannabis pode impedir que o vírus encontre hospedeiros no intestino, pulmão e cavidade oral.

“Seria mais barato para as pessoas e teria muito menos efeitos colaterais”, disse ele. “Nosso trabalho pode ter uma influência enorme – não existem muitos medicamentos com potencial para reduzir a infecção em 70 a 80%”.

Deve-se observar que, se for um método eficaz para combater o coronavírus, a maconha não será consumida por métodos regulares de fumar, mas por xaropes, cápsulas de gel, gargarejo ou inalantes.