MD Chefe, FBC e Vhoor entram em lista de grandes apostas da música para 2022

Capa md chefe e fbc

MD Chefe, FBC E VHOOR estão nos melhores momentos da carreira

Na última semana o porta G1 fez uma lista de apostas musicais para o ano de 2022. Na imensa seleção de nomes da música nacionais, destacamos dois nomes que fazem parte da cultura hip-hop e que bombaram no ano passado. MD CHEFE, FBC E VHOOR estão entre esses nomes que prometem chegar com tudo neste ano com novos projetos

Bombar no cenário musical logo no primeiro disco não é pra qualquer um, mas MD Chefe chegou quebrando tudo com seu projeto de estreia, “Atg Tape”, emplacando hits como “Tiffany” e “Rei Lacoste”, que já estão na boca do povo. O trabalho conta com oito músicas e, em um bate-papo no Faixa a Faixa, projeto Originals da Deezer, o trapper conta tudo sobre cada uma das composições presentes no disco. DomLaike, MC Cabelinho, PL Quest e L7nnon participam do ábum. As produções desse trabalho ficaram na conta de DR3W, CHF, FP e Nagalli.

Reprodução YouTube

Com a “ATG Tape”, MD Chefe foi parar no gráfico de álbuns Top 10 Global do Spotify. O rapper carioca ficou lado a lado de artistas como Nas, Young Nudy e Fredo Bang. A grande marca só demostra o tamanho do trap nacional no momento e como a cena carioca vem dominando no momento. Além de confirmar o talento e potencial de MD Chefe, é claro, bem como a força da sua base de fãs.

Também no ano passado, dois talentos da cena mineira do rap nacional se uniram em um projeto que chegou as plataformas digitais no mês passado. FBC, o “Padrim”, conta com o talento do beatmaker VHOOR no álbum “BAILE”, lançado via ONErpm. Inspirados pelo Miami Bass, som originário do hip-hop e popularizado no Brasil através do funk carioca dos anos 90, a dupla introduz uma nova roupagem à sonoridade e atualiza a temática com versos pertinentes e divertidos. Agora o álbum conquistou 11 milhões de streams em um mês de lançamento.

No álbum, FBC transita, de forma leve e despretensiosa, entre a diversão dos bailes, passando por desilusões amorosas, e questões sociais. Em uma das faixas mais marcantes do disco, “Polícia Covarde”, seus versos funcionam como um reforço emblemático em meio a atmosfera empolgante do estilo musical. A temática das músicas é embasada por uma história que se desenvolve ao longo do tracklist:.

Em evidência na cena, VHOOR trabalha com FBC desde o seu último EP, “Outro Rolê”, e define o disco como uma homenagem a uma sonoridade que ainda impera em alguns lugares do país. “É uma homenagem à cena de Miami bass do Brasil, que é uma cena de funk e hip hop dos anos 90 e 80 que nos inspiramos muito”, diz o beatmaker. “Em Belo Horizonte e em muitos estados do Brasil, ainda é muito forte essa cena, uma cena de dança, uma cena da cultura negra, que tem muita gente ainda que se espelha, que pratica e que passa para frente”, acrescenta.

Sair da versão mobile