Morre Peter Moore, designer do Air Jordan 1 e do icônico logotipo Jumpman da Nike

Capa Peter Moore

Foto: Reprodução

Responsável pelo icônico logotipo Jumpman da Nike Peter Moore morreu aos 78 anos

Peter Moore, um designer icônico que ajudou a lançar a marca de tênis do astro Michael Jordan, morreu na sexta-feira aos 78 anos, segundo o Business Insider e declarações da Nike e da Adidas. Moore é creditado por projetar o logotipo Jumpman, o emblema Wings e o modelo Air Jordan 1, que ainda é um dos calçados mais relevantes da cultura atual.

Ainda não há detalhes sobre as causas da morte, mas o vice-presidente da marca Jordan da Nike, Howard “H” White, divulgou um comunicado estendendo as mais profundas condolências da empresa à família Moore. “Estamos profundamente tristes com a perda de Peter Moore, um designer icônico, cujo legado estará para sempre conectado à Jordan Brand e à cultura de tênis que ele ajudou a criar”, disse White. “Estendemos nossas mais profundas condolências à família Moore durante este período”.

Foto: Reprodução

O Air Jordan 1 foi lançado em 1985 e o Nike Dunk também divulgado no mesmo ano, foram grandes tênis assinado por Moore. Além desses modelos, Peter Moore co-projetou o logotipo Wings e o da Jumpman com Bruce Kilgore; ambos são considerados entre os símbolos mais reconhecidos no mundo dos bens de consumo. O Air Jordan, amplamente considerado o tênis mais importante da história, experimentou uma espécie de renascimento em meados dos anos 2010; hoje é um dos modelos de tênis mais vendidos.

Na Adidas, Moore é creditado com o lançamento da linha EQT, uma das campanhas mais significativas da história da marca. Ele também criou o logotipo de listras inclinadas, muitas vezes associado aos produtos de performance da marca.

“A família Adidas está triste com o falecimento de nosso querido amigo Peter Moore”, disse os representantes da marca em comunicado. “Nossos corações estão com a família de Peter, amigos e todos que o conheceram. Moore era uma verdadeira lenda e ícone em nossa indústria, e é impossível descrever o impacto que ele teve na empresa. Fará muita falta e seu legado viverá para sempre”.

Sair da versão mobile