Nike vai demitir todos funcionários não vacinados contra COVID-19 nos EUA

capa nike

Devido a um mandato de vacina da empresa, a Nike começará a demitir funcionários não vacinados a partir de 15 de janeiro de 2022

De acordo com um relatório do The Oregonian, a Nike começará a demitir funcionários não vacinados neste fim de semana nos EUA. A empresa tem um mandato de vacina em vigor desde outubro. Aqueles que não receberam nenhum tipo de isenção médica ou religiosa serão demitidos no sábado, 15 de janeiro. A abordagem da empresa ao mandato da vacina pode encontrar alguma resistência dos funcionários e da área jurídica, mas muitos juristas acreditam que os empregadores privados podem adotar mandatos governamentais independentemente da decisão judicial.

Embora a empresa esteja pronta para demitir funcionários não vacinados no próximo fim de semana, a Nike enviou um e-mail de aviso para esses funcionários não vacinados. “Você não concluiu o processo de verificação e nossos registros mostram que você não tem uma isenção aprovada. Como resultado, você não está em conformidade com a política e seu emprego está programado para ser rescindido no sábado, 15 de janeiro de 2022”, diz um e-mail enviado a um funcionário na semana passada.

Foto: reprodução

Originalmente, a Nike esperava ter funcionários de volta ao escritório em 10 de janeiro em uma programação híbrida, mas devido ao aumento dos casos de COVID-19, esses planos fracassaram. “Acreditamos que, com o tempo, com inovação e uma marca forte, queremos ir para um modelo híbrido”, afirmou o CEO da empresa, John Donahoe, em uma ligação no mês passado.

“Como você sabe, nos Estados Unidos, temos vacinas obrigatórias e temos uma taxa de resposta muito alta a isso. Portanto, estamos prontos para voltar a um ambiente de trabalho híbrido quando for seguro”, continuou ele. Com base no relatório do Oregonian, cerca de 120 funcionários da Nike se opuseram às ordens, mas não está claro quantos desses funcionários estão vacinados.

Sair da versão mobile