TuneCorre: Conheça o corre de Puterrier, novo destaque da cena e expoente do atabagrime

capa puterrier

Divulgação

TuneCorre: Puterrier é o primeiro convidado do novo quadro do RAPMAIS em parceria com a TuneCore

A partir desta semana, o portal RAPMAIS começa o quadro TuneCorre em parceria com a TuneCore, a maior distribuidora musical do mundo para artistas independentes. No projeto, destacaremos o corre de um artista independente da cena nacional por semana e no final, os destaques do quadro serão peça central de um artigo especial da HypebeastBR, uma das maiores e mais conceituadas mídias sobre a cultura urbana do planeta.

Nosso primeiro convidado é um dos novos destaques da cena e um dos primeiros a apostar no “atabagrime” em grande escala no Brasil. Estamos falando do artista carioca Puterrier, que a princípio, seria mais um a entrar na onda do trap, mas acabou não se familiarizando com o beat do estilo e sentiu que não era sua cara. Dono do grande hit “Putaria 2000”, ele quer chegar no mainstream e alcançar o nível da Ludmilla, Anitta e Glória Groover, pois com tão pouco tempo já tem reconhecimento. Com exclusividade para o RAPMAIS, Puterrier fala sobre seu corre na cena.

“Eu sempre fui um cara que escrevia muita poesia por causa do meu avô. Ele fazia muitas poesias na máquina de escrever na época quando eu era mais novo. Aí me apaixonei pela escrita, fazer metáfora, jogo de palavras… Com uns 10 anos tive a influência de um amigo de colégio que gostava de pagode, funk e outros estilos musicais, e como eu era nerd, ele me apresentou para esses gêneros, foi quando me apaixonei pelo rap”, detalhou.

Durante suas pesquisas, Puterrier conheceu o “Brasil Grime Show”, projeto em que vários artistas são convidados para cantar com beats de Grime no YouTube. Puterrier passou então a pesquisar sobre Grime e descobriu diversos artistas nacionais e internacionais.

“Parei de fazer música por uma ano para me estudar, me descobrir, quem eu era, o que eu queria passar, os medos que eu tinha, o que eu tinha que vencer, o que eu tinha que transformar… e aí encontrei o grime. Como comecei a gostar de funk e com as referências aqui do Rio de Janeiro, tive a ideia de misturar funk com grime. Tinha uma rapaziada fazendo isso, só que poucas pessoas. Só que estavam misturando mais eletrônica com funk do que funk com eletrônica. Eu sabendo que fazendo isso, as pessoas iam olhar mais para o grime…. Desde então as pessoas começaram a chamar essa mistura de atabagrime”, revelou.

O artista também explica detalhes do tão recente, mas já tão famoso, atabagrime. Puterrier afirma que o estilo é daqueles que ninguém consegue ficar parado: “Eu gosto de deixar as minhas músicas pique de baile, deixar ritmada para dançar! Com o atabagrime não existe depressão. Sempre quis fazer música para deixar as pessoas alegres e contagiadas”, disse.

Puterrier se mostra bastante animado com a cena atual do hip-hop no Brasil: “O hip-hop, no geral, está crescendo muito. Os artistas estão vindo com uma qualidade e criatividade absurda Só que como todo movimento que cresce rapidamente aparecem muitas pessoas copiando as outras e acabam fazendo mais do mesmo tentando criar uma fórmula pro sucesso, sendo que música é identificação, sonoridade, originalidade…. Mas é isso: Tem muita gente braba. Estou muito feliz aonde o hip-hop chegou e aonde ele vai chegar mais ainda”, conta.

Para seu futuro, Puterrier conta que quer que não apenas sua carreira atinja um patamar mais elevado, ele também tem um pensamento bastante no coletivo para que a cena do Brasil vire uma grande referência no mundo todo.

“Eu quero fazer a chave virar. Não só por mim. Não penso ‘Ah, eu quero ficar rico, quero que as pessoas olhem para mim’. Eu quero que as pessoas tenham autoestima, que sintam orgulho de onde elas são, que sintam orgulhos de ser brasileiro. Minha meta é essa: que com o atabagrime as pessoas tenham orgulho de ser elas mesmas”, começa o artista, que continua sua revelação de seus próximos passos.

“Além de crescer mais e mais e fazer um trocado, quero puxar meus amigos que também estão focados na música junto comigo: O Raro e o Pedro, que é o meu DJ… O Raro é meu faixa, meu fiel, faz várias músicas brabas, vocês ainda vão ouvir muito o nome dele. Então é isso, pretendo fazer a chave virar para o atabagrime, a chave virar para o Brasil e o mundo todo pegar a visão que aqui tem muita coisa. Inclusive esse ano sai um EP de atabagrime”, conclui.

Esse conteúdo é apoiado e patrocinado pela TuneCore. uma das maiores distribuidoras de música digital para artistas independentes do mundo, e fez sua expansão internacional ser ainda maior com o lançamento da TuneCore Brasil. Fundada em 2006, a TuneCore permite que artistas independentes distribuam suas músicas para a extensa rede de mais de 150 lojas digitais e serviços de streaming em todo o mundo, incluindo Spotify, iTunes/Apple Music, YouTube Music, Amazon Music, TikTok e Deezer.

Além disso, todos que fecharam a distribuição com a TuneCore usando nosso link terão desconto de 50% na anuidade na primeira distribuição e ainda ficam com 100% das receitas das vendas das suas músicas. É só clicar aqui! (o desconto é aplicado diretamente no checkout).

Confira nosso post especial sobre Puterrier no TuneCorre em nosso Instagram abaixo:

 

Sair da versão mobile