TuneCorre: Destaque do corre independente no Brasil, Frostt está pronto para explodir na cena

capa frostt

Frostt é destaque na cena independente há alguns anos e está mais do que pronto para o topo do Rap Nacional

Chegamos com mais uma edição do projeto TuneCorre, uma parceria entre o RAPMAIS e a TuneCore, a maior distribuidora musical do mundo para artistas independentes, onde contamos a história dos artistas e um pouco do seu corre na cena independente. No primeiro episodio, falamos com a sensação Puterrier e no segundo com a braba Thai Flow, agora apresentamos o rapper Frostt.

No projeto, destacaremos o corre de um artista independente da cena nacional por semana e no final, os destaques do quadro serão peça central de um artigo especial da HypebeastBR, uma das maiores e mais conceituadas mídias sobre a cultura urbana do planeta. Com exclusividade,  Frostt conta como começou a sua caminhada no rap e todas as suas influências.

reprodução Instagram

Diretamente de Madureira, no Rio de Janeiro, Frostt vem se destacado na cena carioca há alguns anos, principalmente com as músicas “Ouro”“Fatos Reais”“MLK do RJ”. O seu grande último sucesso foi, ‘Loiro Pivete’, faixa, produzida por Bonbap, e que chegou com um videoclipe oficial que foi filmado e dirigido pelo Perry. Ele nos conta como começou a sua carreira, suas influências e seu corre na cena.

“Eu sempre gostei de escrever desde a época da escola. Me destacava nas redações e comecei a escrever músicas em 2014, com influência do que eu mais escutava que era o funk carioca e o hip hop americano. Eu sempre gostei de misturar estilos musicas e trazer algo diferente, algumas vezes pode até ser estranho para os ouvidos, mas acredito muito no potencial para ser, cada vez mais, aceito. Por isso que eu acho que não me encaixo num estilo musical específico, consigo mesclar o drill, grime e funk sempre trazendo a minha essência e criatividade”, detalhou.

Estamos vivendo um grande momento no rap nacional. Nunca antes tínhamos visto tantos plays em plataformas de áudio e reproduções de videoclipes. Tanto artistas da velha escola quanto a nova geração estão nos fones e caixas de som de todo o Brasil. Frostt, que é um desses casos, comenta como está vendo esse momento sa cena e a expectativa do seu trabalho dentro dela.

“Enxergo a cena crescendo a vera e com muito potencial pra alcançar lugares gigantes! Mas pra isso nós (artistas, público e a galera do business) precisamos rever algumas coisas que ainda nos impedem de ser maior do que sabemos que podemos. É essencial o que chamam de “música urbana” se profissionalizar. Geral precisa estudar e entender a importância de tudo que envolve a indústria da música: como lançar, a burocracia dos cadastros, como usar as redes sociais, contrato, cachê de show, relacionamento com marcas, discurso, tudo!!”, começou a falar o rapper.

“Os artistas e equipes independentes precisam saber de tudo isso. Já da parte do público, na minha opinião, falta um olhar diferente pra algumas situações na cena. Por exemplo, quando um artista explode e fura a bolha a galera já julga chamando de modinha. O mesmo público underground que levanta o artista também derruba. É quase um ciúme daquele artista, do sucesso dele, não sei”, completa.

Frostt avisa que quer chegar num nível internacional, mas não quer estar no topo sozinho. Ele quer levar ainda mais os mais novos chegarem ao sucesso.

“A gente tem que parar de desmerecer o sucesso dos outros. Isso mostra o que somos como País! É muito sério! Falo isso porque o meu objetivo é chegar em um nível alto e furar a bolha o máximo possível. Quero chegar no nível da Anitta, trabalhar com artistas de fora, levar a música brasileira pro mundo, com a minha essência. E não quero chegar nesse nível sozinho, sendo julgado e perdendo apoio dos fãs que estiveram comigo desde o início. Quero que todos os artistas que pensam assim cheguem lá, com todo o apoio dos fãs também, tem que ser uma vitória coletiva pra geral”, fala.

Frostt estourou com bastante na cena do rap nacional com o single “Loiro Pivete”. Ele conta como foi a composição dessa música, a ideia da batida e já revela em primeira mão que está pronto para lançar mais um hit na sua carreira.

“Tive a ideia de escrever essa música durante uma das vezes que descolori o cabelo. É muito sobre autoestima do preto. E sobre a batida, é o que eu sempre procuro: uma parada pra cima, pra ninguém ficar parado. Sempre, sempre com funk. Tem a letra pra quem gosta de prestar atenção mas também tem a batida contagiante pra ninguém ficar parado. Sempre busco soltar algo diferente do lançamento anterior, porém com a mesma essência, e nos próximos podem esperar isso. O single que sai agora em Junho “Camisa de Time” vem aí pra mostrar isso pra vocês. Espero que gostem!”, detalha o cantor que fala também dos planos para esse ano.

“Um dos meus planos pra 2022 é colaborar mais com as mulheres da cena. Vou lançar muitos singles esse ano e vem um EP em breve, com alguns feats inesperados, se tudo der certo! Podem aguardar um dos melhores projetos do ano!”, conclui.

Esse conteúdo é apoiado e patrocinado pela TuneCore. uma das maiores distribuidoras de música digital para artistas independentes do mundo, e fez sua expansão internacional ser ainda maior com o lançamento da TuneCore Brasil. Fundada em 2006, a TuneCore permite que artistas independentes distribuam suas músicas para a extensa rede de mais de 150 lojas digitais e serviços de streaming em todo o mundo, incluindo Spotify, iTunes/Apple Music, YouTube Music, Amazon Music, TikTok e Deezer.

Distribua de forma ilimitada sua música com os 4 novos planos da TuneCore aqui. 

Sair da versão mobile