Parece que a avó de Will tem tudo a ver com isso.

Nos anos 90, Will Smith era conhecido por não xingar em suas canções de rap. Durante uma recente aparição no Late Night com Seth Meyers para promover seu novo filme, Bad Boys Para Sempre, o nativo de Philly explicou como sua avó influenciou essa decisão.

Segundo Smith, ele havia começado a rimar aos 12 anos quando ela achou seu livro de rimas:

“Eu estava escrevendo minhas letras e tinha todos os palavrões no meu livro de rap. E minha avó encontrou meu livro de rap. Ela nunca disse nada, foi para a última página e disse: ‘Caro Willard, pessoas verdadeiramente inteligentes não precisam usar palavras como essas para se expressar. Mostre ao mundo que você é tão inteligente quanto pensamos. Com amor, GG’. E eu li isso e fiquei tipo, ‘F*da-se!”

Em 2000, Eminem fez referência às letras limpas de Smith em “The Real Slim Shady”, nas quais o Detroit MC faz rap: “Will Smith não tem que xingar nos raps dele para vender discos (Não). Bem, eu faço, então foda-se ele e foda-se você também!”

Como destaca o colaborador da Genius DoomShroom , Em estava falando do discurso de Smith no VMA da MTV de 1999, durante o qual “Miami” de Smith venceu “My Names Is” de Em no prêmio de Melhor Vídeo Masculino.

“Eu nunca matei ninguém em nenhum dos meus sons”, disse o ator e rapper enquanto comemoravam sua vitória. “Eu nunca usei palavrões em nenhum dos meus sons e ainda consegui subir aqui.”

Em mais tarde, explicou à MTV que ele interpretou os comentários de Smith como uma diss. Smith ganhou fama pela primeira vez como parte da dupla DJ Jazzy Jeff & The Fresh Prince. Depois de ganhar dois Grammys por “Parents Just Don’t Understand” e “Summertime”, Smith começou sozinho com Big Willie Style de 1997 e Willenium de 1999.

Enquanto se concentrava em sua carreira de ator, Smith lançou apenas mais dois álbuns. Mais recentemente, Lost and Found, de 2005, chegou ao sexto lugar na Billboard 200. Assista à entrevista completa abaixo.