O rapper da cidade de Campinas, Viana, vem se destacando cada vez mais no cenário do Trap underground, e dessa vez apareceu com um novo EP que conta com participações do grupo de Londrina UZI, do rapper Thi também da cidade de Londrina, Rhenan Duarte, YouTuber Moto Treta e Gregory.

O EP intitulado Álbum Roxo foi gravado na Cooperativa Records e duas faixas na Houzi Records, conta com produção dos Beatmakers: Rizzi (Los Primos), TJ Beats e Dxus (KKR).

Escute o projeto abaixo e conheça mais sobre Viana, na entrevista que fizemos com o artista.

Como começou sua carreira?

Comecei na música cedo, com 12 anos ganhei um violão e comecei a estudar música desde então. Sempre escutei Rap (escondido da minha mãe), mas nunca imaginei que um dia viria fazer. Tive várias bandas… Desiludido com algumas coisas, ingressei no grupo de Rap que um primo tinha há uns 3 anos atrás, era o 2 Torres, desde então senti uma vontade imensa de começar a fazer minhas paradas, escrevi e comecei lançar após o término do grupo. O porque de tudo isso, foi vontade de mostrar um pouco do que se passa dentro da minha mente, é incrível encontrar pessoas que conseguem compreender e descodificar suas linhas, se identificando com as músicas que você escreve as vezes deitado no sofá de casa.

Quais são suas influências e inspirações?

Minhas influências principais, são meus amigos.Tenho muitos amigos que são talentosos demais no que fazem, e com certeza me influencio neles. Minhas inspirações no RAP, são artistas que eu me vejo nem que seja um pouco neles, e artistas que me fizeram a começar escutar RAP. Ndee Naldinho, 509-E, Racionais, Gregory, GOG, Consciência Humana, Realidade Cruel, Visão de Rua, Sistema Negro, A Família… Eu consumi (consumo) muito o Rap nacional da velha guarda, mesmo que meu som não tenha essa cara. Alguns artistas que já estão na mesma época que eu, que eu escuto são: Post Malone, Bryson Tiller, Lil Uzi Vert, Ty Dolla $ign, Drake, Migos, Bhad Bhabie, Ca$hrina. Não escuto muita coisa BR atual, mas é impossível não citar o trabalho como um todo dos caras da Ceia, é uma parada inspiradora pra quem faz música no Brasil. Gosto bastante dos trabalhos do Valente, último disco do Ber to escutando bastante também, Kafé, BK, Matuê e mais alguns.

Como define seu estilo?

Não que eu me prenda a somente um estilo, mas criei raízes no trap, comecei a ser reconhecido e fazer show por conta dele, e suas vertentes. Então meio que sem eu dizer, o público me definiu como um artista de trap.

Como vê a cena do rap nacional hoje? O que seu trabalho traz para a cena?

Vejo a cena cada dia mais em expansão, o RAP tá cada vez mais quebrando as barreiras impostas por uma sociedade conservadora e idiota. Tá passando as portarias dos condomínios, tá chegando numa classe nunca alcançada antes, isso particularmente acho foda. Tem muita gente conseguindo vender seu trampo, viajar, tocar, pagar as contas com suor do seu trabalho na música, isso é foda. Falando sobre o Álbum Roxo um pouco, quis trazer nesse trabalho a auto estima pra quem tá no underground, pra quem tá no mesmo corre que eu. Quero que a molecada que encosta no meu show, que escuta meu som, que assiste ali na frente do palco, que as vezes cantam, vão embora acreditando na sua capacidade de fazer algo, de ser o melhor que ele pode ser e mudar o seu próprio mundo.

Quais são seus projetos futuros? Prepara novos trabalhos, álbuns, singles?

Meu foco no momento é soltar clipe de todas as tracks do Álbum Roxo até o fim do ano, já comecei a fazer shows levando as musicas dele no repertório, a aceitação tá bacana. Pra este ano não tenho pretensão de lançar mais nada meu se tratando de música nova solo… Estou trabalhando em alguns feats, tem muita música pra sair da banca que faço parte, a KKR (King Kush Record’s) é uma banca nova, porém com muita gente talentosa envolvida que não vai passar batido. Logo mais sai clipe com Dubeat, um mano que já viveu a máxima do mainstream, que tem som tocando na rádio até hoje, já gravou com muito nome da música brasileira, e está voltando depois de um hiato por conta de uma depressão foda, esse som com certeza vai marcar na cena. Tem feat pra sair com Febem também, Denov e mais alguns que ainda não posso divulgar.

Gostaria de adicionais mais alguma coisa?

Gratidão a todos que depositam uma fé no meu corre, meus amigos e quem não consome o trap só no YouTube, quem tá lá pra trombar a gente nos shows, quem encosta pra viver de verdade a parada. Me sigam no Instagram @post.marrone. Só fé pra toda equipe do Portal Rap Mais, sempre trazendo conteúdo pra gente, sempre mostrando coisas novas pra cena.