Djonga se pronuncia após justiça exigir que frase ‘Fogo nos Racistas’ fosse apagada da rede social de uma vitima de racismo

Djonga disparou e deu um relato emocionante sobre a frase e o racismo no Brasil

Hoje aconteceu um fato inacreditável na justiça brasileira. O juiz Schmitt Corrêa, da 3ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou que uma enfermeira negra excluísse uma postagem feita no Facebook com a imagem de um cartaz escrito “Fogo nos Racistas” em que relatava um caso de racismo sofrido por sua irmã, numa loja no centro de Mogi Guaçu, cidade a 172 km de distância da capital paulista.

Após essa notícia, o rapper Djonga foi nos seus stories falar sobre: “Quando eu trouxe essa frase em ‘Olho de Tigre”, eu não sabia que ela se tornaria um dos gritos mais importantes da nossa geração. Nunca me apropriei dela como minha, inclusive por sentir que o caráter dela é maior que artístico. Eu e meus irmãos, minhas irmã, fomos perseguidos uma vida inteira, fomos acusados do que não fizemos uma vida inteira, alguns de nós
tomaram tiro. . .por uma vida inteira fomos relatados na mídia em tom de Deboche.”, começou o rapper.

“A REAÇÃO QUE ELES TEM CONTRA ‘bandidos’, É METER BALA SEM ESPAÇO PRA DEFESA… .e você sabe o que é um ‘bandido’… Se a nossa reação contra a mentira deles, é gritar ‘Fogo nos Racistas” é um absurdo! (Olha que nem concretizamos) MAS A PERGUNTA É: TÁ COM MEDO DE QUE? O RACISTA É VOCÊ???”, finalizou Djonga em seu desabafo.

De acordo com a história da enfermeira, a irmã tinha sofrido um problema capilar e estava careca, por isso foi até a loja e comprou um adereço para a cabeça que custava R$100. No entanto, ao chegar em casa, ela notou que deram para ela um produto que custava R$70, então ela voltou na loja para fazer a troca. A dona da loja não quis fazer a troca.

Vale lembrar que aqui no Brasil, artistas se posicionam contra o racismo e usam a frase. Um exemplo disso foi a morte do menino João Pedro, que foi baleado durante uma operação policial no Rio de Janeiro. Indignados com a discriminação racial, artistas como Ferrugem, Marcelo D2 e Ícaro Silva pedem “fogo nos racistas”.

Sair da versão mobile