Ex-presidente da Jordan admite ter matado um homem na adolescência

capa jordan

Reprodução

O executivo da Nike revelou seu segredo mais obscuro em uma entrevista à Sports Illustrated

Larry Miller, que serviu como presidente da Jordan Brand de Michael Jordan e da NIke de 1999-2006 e presidente do Portland Trail Blazers de 2007-2012, tinha que tirar algo do peito. Recentemente, conversando com a Sports Illustrated, Miller revelou que quando tinha 16 anos na Filadélfia, ele matou um homem.

Miller manteve as informações em segredo por mais de 50 anos, mas lentamente começou a divulgar os detalhes de uma noite de setembro de 1965 que deixou um homem de 18 anos morto. Depois que um de seus amigos foi esfaqueado e morto por um membro de uma gangue rival da Filadélfia, Miller disse que ele e três amigos ficaram bêbados, pegaram uma pistola calibre 38 e saíram em busca de problemas.

Miller atirou e matou a primeira pessoa que viram. Ele não conhecia o homem que matou, mais tarde identificado em Edward White, de 18 anos, e Miller diz que é isso que o assombra.

“Isso é o que torna as coisas ainda mais difíceis para mim, porque não foi por nenhuma razão”, disse Miller à Sports Illustrated. “Quer dizer, não havia nenhuma razão válida para isso acontecer. E é isso que eu realmente luto e é – você sabe, é o que eu penso todos os dias. É tipo, eu fiz isso, e para alguém que – não havia razão para fazer isso. E essa é a parte que realmente me incomoda.”

Mais tarde, Miller foi detido e encarcerado até os 30 anos de idade. Depois de sair da prisão e receber seu diploma da Temple University, Miller não arrumava emprego devido ao seu passado criminoso e, posteriormente, começou a esconder seu segredo cada vez mais profundamente, o empurrando ainda mais para baixo a cada trabalho de alto perfil que assumiu até agora, quando ele decidiu que não poderia, e não deveria, manter o segredo por mais tempo.

O ex-presidente da Jordan Brand disse que Michael Jordan, o comissário da NBA Adam Silver e outros o apoiaram enquanto ele revelava seu segredo ao mundo, mas ainda diz que mudaria a forma como tudo aconteceu se pudesse.

“Se eu pudesse voltar atrás e desfazê-lo, eu absolutamente faria isso. Não posso. Portanto, tudo o que posso fazer é tentar fazer o que posso para ajudar outras pessoas e tentar talvez evitar que isso aconteça com outra pessoa”, disse Miller.

Sair da versão mobile