JAY-Z trabalha para impedir que letras de Rap sejam usadas como prova nos tribunais

Mais uma incitava buscando a justiça social da Roc Nation de JAY-Z

JAY-Z e muitos de seus contemporâneos estão pressionando o governo dos Estados Unidos para que os promotores parem de usar letras de rap na tentativa de provar culpa durante os julgamentos criminais. Hov, Big Sean, Meek Mill, Fat Joe e mais, estão apoiando um projeto de lei chamado “Rap Music on Trial” (S.7527/A.8681), com a esperança de que se torne uma lei estadual, segundo a Rolling Stone.

Em uma carta aos legisladores estaduais, incluindo a governadora de Nova York Kathy Hochul, o grupo pediu que a legislação fosse aprovada depois de passar pelo Comitê de Códigos do Senado. “Esta é uma questão que é importante para (Jay-Z) e todos os outros artistas que se uniram para tentar trazer essa mudança”, compartilhou o advogado de Jay-Z, Alex Spiro. “Isso vem de muito tempo. O Sr. Carter é de Nova York, e se ele puder emprestar seu nome e seu peso, é isso que ele quer fazer.”

Divulgação

Spiro co-escreveu a carta com o professor da Universidade de Richmond, Erik Nielson, e disse que espera que a legislação chegue ao país para “enviar uma mensagem de que o progresso está chegando”. Também co-assinaram a carta Kelly Rowland, Killer Mike, Yo Gotti, Robin Thicke e muito mais.

“Nossas letras são uma forma criativa de auto-expressão e entretenimento – assim como qualquer outro gênero”, disse Fat Joe à Rolling Stone. “Queremos que nossas palavras sejam reconhecidas como arte, em vez de serem armadas para obter condenações no tribunal. Espero que o governador e todos os legisladores de Nova York levem nossa carta em consideração, protejam nossos direitos artísticos e tomem a decisão certa de aprovar esse projeto”.

A legislação limitaria o uso de “expressão criativa” como evidência e pressionaria os promotores a provar que tal arte não é apenas ficcional, com “evidências claras e convincentes”. O senador Brad Hoylman, o senador Jamaal Bailey e a deputada Catalina Cruz apresentaram a legislação.

Hoylman usou um exemplo de Johnny Cash cantando que ele “atirou em um homem em Reno apenas para vê-lo morrer” e David Byrne chamando a si mesmo de “assassino psicopata”, sem que ninguém os interpretasse literalmente. Por outro lado, os artistas de hip-hop têm um histórico de terem suas letras usadas contra eles. O falecido Drakeo the Ruler cumpriu três anos de prisão depois que o conteúdo de suas músicas foi usado para processá-lo criminalmente.

“Presumir a culpa de um réu com base apenas em gênero musical ou expressão criativa é antitético aos nossos direitos fundamentais e perpetua o racismo sistêmico que está embutido no sistema de justiça criminal por meio de combinações discriminatórias de hip-hop e rap com criminalidade”, disse Bailey.

Sair da versão mobile