Joe Budden responde ao ataques de Eminem no verso vazado de “Bang”

by Vinicius Prado

Após o lançamento do verso original de Eminem em “Bang”, Joe Budden abordou alguns dos ataques contra ele.

Não é segredo que Eminem e Joe Budden tiveram um relacionamento interessante e , embora tenha havido momentos em que a dinâmica foi amigável, ela acabou azedando ao ponto de hostilidades abertas de ambas as partes.

E enquanto Em atacou Joe rm “Lock It Up”, do disco Music To Be Murdered By, a treta se acalmou por conta própria, embora uma conversa pacífica entre os dois pareça não ter acontecido. Na maioria das vezes, parece que Em e Joe decidiram deixar a rivalidade no passado, uma decisão que quase foi derrubada quando um verso não lançado de Eminem em “Bang” de Conway vazou no fim de semana.

Como o verso de Em disparou contra Joe Budden e a rede REVOLT onde ele trabalha, Joe tirou um momento para abordar o vazamento no último episódio de seu Joe Budden Podcast. Logo de cara, fica claro que Budden não se incomoda com os golpes, mostrando algum humor enquanto ouve alguns dos versos. Apesar de seu co-anfitrião Rory provocar o ex-rapper com palmas, Budden opta por seguir o caminho principal em sua resposta.

“Escute, eu estava cem por cento preparado para vir aqui e gritar com Paul [Rosenberg] porque pensei que Paul tivesse vazado isso”, explica Budden. “Eu estava preparado para vir aqui e dizer a Paul e Em para ler a sala. Agora não é hora de tudo isso. Mas este é um verso antigo. Mal está certo, você não se ofende com os versos antigos. E dois. Eu acho que ninguém está preocupado com isso agora. Eu não acho que Em esteja, eu não acho que meus irmãos da Slaughterhouse estejam. Eu não acho que alguém esteja desse lado neste momento. Estou falando seguro sobre isso, não vou lhe dizer por que me sinto seguro falando sobre isso, mas eu estou”

“Não é exatamente onde o foco está agora”, continua Budden. “Não é onde nossa preocupação está, ou onde deveria estar. É uma maneira de coisas muito importantes acontecendo agora. Mesmo se eu fosse entrar aqui e começar a gritar, não estou fazendo rap, então não é divertido. Nada sobre isso é divertido. Há mais poder na unidade. Vou assumir que estávamos dando alguns passos pequenos para tentar alcançar a unidade com algumas das conversas dos bastidores que estavam ocorrendo. Então, não, isso não é o Joe, de 35 anos, que vai estragar tudo, porque eu estou bravo por alguma merda velha. Vou ser maduro – tenho quarenta anos. Grande verso!”

Confira as reflexões de Joe sobre “Bang” por volta dos cinquenta e sete minutos.

Relacionados