Jornalista afirma que Kanye West disse que ‘amava Hitler e nazistas’ em entrevista de 2018 ao TMZ

Podcaster fez acusações graves contra Kanye West

Kanye West supostamente declarou seu amor por Adolf Hitler em 2018, quando disse ao TMZ que a escravidão era “uma escolha”, é o que o jornalista Van Lathan afirmou em um podcast. Durante o episódio de quarta-feira do podcast “Higher Learning”, Van Lathan disse que o rapper havia feito os comentários, mas o TMZ editou o vídeo e cortou essa parte da entrevista. “Eu já o ouvi dizer essas coisas antes”, disse Lathan à sua co-apresentadora, Rachel Lindsay, referindo-se aos últimos comentários antissemitas de Ye.

“Quero dizer, fiquei surpreso porque esse tipo de conversa antissemita é nojento. Mas quanto a ele, eu sabia que isso estava nele porque quando foi ao TMZ, ele disse essas coisas e eles tiraram da entrevista”, alegou. Lathan – que trabalhou para o TMZ até 2019 – disse que falou sobre o Holocausto enquanto refutava os comentários de Kanye sobre a escravidão, mas o rapper de “Gold Digger” fez algumas afirmações chocantes em resposta.

“Se você olhar para o que eu disse na entrevista com ele no TMZ, você vai me ver dizendo, ‘Ei Kanye, há implicações na vida real, no mundo real para tudo o que você acabou de dizer’ O que eu falo depois disso – se me lembro, já faz muito tempo – foi, ’12 milhões de pessoas realmente morreram por causa do nazismo e Hitler e todas essas coisas’, e então eu passo para falar sobre o que ele disse sobre a escravidão. ”, alegou Lathan, falando sobre os cortes na entrevista.

“A razão pela qual eles tiraram isso é porque não faria sentido a menos que eles mantivessem Kanye dizendo que ele amava Hitler e os nazistas, o que ele disse quando estava no TMZ. Ele disse algo como: ‘Eu amo Hitler, eu amo os nazistas.’ Algo nesse sentido.” Lathan lembrou-se de um membro judeu da equipe do tabloide desafiando West por seus comentários antissemitas, mas isso não influenciou as opiniões do rapper.

“Quando eu vi [os novos tweets], eu fiquei tipo, ‘Oh, eu sabia que isso acabaria acontecendo.’ Na verdade, eu tinha antecipado que chegaria bem antes disso”, disse o jornalista, referindo-se ao recente tweet de Ye que o fez ser banido temporariamente do Twitter e Instagram. Na semana passada, Ye foi bloqueado de sua conta no Instagram depois que ele compartilhou uma captura de tela excluída de uma conversa com Sean Love Combs, também conhecido como Diddy, na qual ele sugeria que o rapper estava sendo controlado por judeus.

Quando Diddy pediu ao rapper para “parar de jogar esses jogos na internet” em meio à sua última série de discursos no Instagram, ele respondeu: “Isso não é um jogo”, antes de continuar: “Vou usar você como exemplo para mostrar ao povo judeu que pediu para você me atacar, que ninguém pode me ameaçar ou influenciar.”

https://www.youtube.com/watch?v=2uk68a1UELM