Se você é ligado a cultura hip hop talvez já tenha visto a série “Atlanta” de Donald Glover. Em um dos episódios, foi ao ar um talk show intitulado “Montague” onde o rapper Paper Boi se juntou a Franklin Montague com a Dra. Debra Holt, chefe do Centro de Assuntos Transamericanos, para um episódio dedicado a discutir “perspectivas crescentes de sexualidade aceita e seus efeitos na juventude e cultura negra”.

Em um trecho,um homem aparece entrevistando um adolescente negro chamado Antoine Smalls que acredita que ele é realmente um homem branco.  Agora a crítica social se transformou em fantasia para o Carnaval.

O jovem carioca Felippe Samurai, viralizou na internet ao aparecer com o traje de Antonie Smalls. “Eu sou um homem Branco de 35 anos. #transracial” ele publicou em uma foto no Instagram.

Caso não saiba, “Sou um homem branco de 35 anos”, são as primeiras palavras que Smalls diz a Wielder na série Atlanta. O correspondente explica que Smalls tem “identidade trans-racial” e agora se identifica como Harrison Booth, do Colorado.

Há alguns anos vem acontecendo muitos casos de “blackfishing”, termo usado para alguém que estaria fingindo ser negro. Ao praticarem blackfishing, estas pessoas estariam ocupando um espaço normalmente utilizado por pessoas negras. Os críticos alegam que isso seria o aproveitamento indevido e injusto da fama conquistada a duras penas pelos negros na sociedade.