Kanye West afirma que GAP continua vendendo seus produtos mesmo após rompimento

Kanye West e a Gap romperam um acordo de 10 anos.

Na semana passada, noticiamos que os advogados de Kanye West enviaram uma carta para a Gap anunciando que a parceria de 10 anos da marca Yeezy com a varejista de roupas está encerrada. A alegação é que a empresa violou seu contrato com o rapper porque não lançou roupas e não abriu lojas de varejo segundo acordos anteriores.

Gap deveria vender 40% da linha de roupas Yeezy Gap em lojas físicas durante os últimos dois trimestres de 2021 e abrir cinco lojas de varejo com os produtos Yeezy até 31 de julho de 2023, embora a empresa ainda não tenha aberto uma loja, conforme a carta. O acordo de Ye com a Gap deveria terminar em 2030 e seu contrato com a Adidas, no qual a empresa produz e vende os tênis da Yeezy, acaba em 2026.

Capa Kanye West
Foto: Twitter @adidas

Esse é um momento em que muitos fãs do rapper estão acompanhando, no entanto, a mais recente atualização de Kanye West é que mesmo após o rompimento do acordo, a Gap continua vendendo seus produtos.

“Magicamente nenhuma produtora se dispôs a produzir meu desfile YZYSZN9 em Paris no dia 3 de outubro”, escreveu ele no Instagram. “Engraçado que Bob Martin me ligou e disse que estamos terminando nosso negócio amigavelmente, mas eu não posso fazer um desfile de moda, mas eles podem continuar vendendo meu produto hmmmmm.”

“Um rei não pode viver no castelo de outra pessoa. Um rei tem que fazer seu próprio castelo”, disse Kanye sobre sua decisão de rescindir um contrato com a Gap por falta de cumprimento das obrigações. O artista nomeou várias razões que o levaram a decisão, entre elas, não ser consultado sobre preços, cores e também um acordo que ele tinha sobre a criação de lojas físicas que não aconteceu.

Em notícias relacionadas, Kanye West revelou que a guerra contra a Adidas ainda não acabou. “Eu acho que a guerra não acabou”, legendou o rapper, com uma lista de proibições que a Adidas e Gap teriam feito contra o artista.

As proibições seriam: “nem Yeezy, nem Kanye podem usar, usar, patrocinar, promover, comercializar, anunciar, endossar, projetar, fabricar, licenciar, vender ou fornecer serviços de consultoria com relação a qualquer um dos seguintes produtos sob as marcas comerciais da Yeezy, ou a semelhança de Ye, ou qualquer outro atributo, recurso ou indicação identificável ao rapper.”