Seguir

Kendrick Lamar e SZA estão sendo processados pelo clipe de “All The Star”

Em fevereiro, a artista britânica-liberiana Lina Iris Viktor processou os artistas da TDE por causa do videoclipe oficial de “All the Stars”. A artista afirmou que o visual – dirigido por Dave Meyers e Little Homies – apresentava elementos de seu trabalho com padrões dourados. e, portanto, infringiu seus direitos autorais.

“Por que eles fariam isso?”, Disse Viktor ao New York Times no início deste ano. “É uma questão ética […] A apropriação cultural é algo que acontece continuamente aos artistas afro-americanos, e eu quero tomar uma posição.”

Viktor está atualmente processando por danos, e também exige uma parte no lucro de “All the Stars” lucros; no entanto, a equipe jurídica de Kendrick e SZA insiste que o processo do artista é “o epítome do excesso de litígio”.

De acordo com documentos legais obtidos pela Pitchfork , os réus argumentam que o videoclipe não usou elementos roubados do trabalho de Viktor; e mesmo que isso acontecesse, a arte não teve efeito sobre o enorme sucesso do disco.

Sua moção diz em parte:

O bom senso e a lógica ditam que o suposto uso de 19 segundos da Obra no Vídeo é muito mais especulativo (e, em qualquer caso, não menos especulativo) uma razão para as decisões das pessoas transmitirem ou comprarem o single ou Álbum […] Qualquer A tentativa do autor de vincular essas decisões ao uso alegado é especialmente suspeita devido à incerteza adicional sobre se as pessoas que tocam o vídeo realmente assistem, em vez de apenas ouvir o áudio e, se assistem, se o fazem até o minuto final quando o alegado uso ocorre.

O documento continua listando os elogios de Kendrick e SZA, insistindo que sua popularidade e talento é o que levou “All the Stars” a se tornar tão lucrativa – não a suposta arte roubada. Eles também argumentam que a reivindicação de Viktor por danos à reputação deveria ser descartada.

O advogado de Viktor respondeu à moção com a seguinte declaração: “Os réus entraram com uma ação para julgamento sumário parcial pedindo ao Tribunal que excluísse danos indiretos, isto é, indenizações pelos lucros dos réus da venda do single e do álbum atribuíveis à infração em o videoclipe. Esperamos por esta moção e estamos confiantes de que a lei sobre esta questão está a nosso favor ”.