Mariah Carey revela que sua irmã a drogou e tentou vendê-la para um cafetão aos 12 anos de idade

311

A cantora revisitou suas memórias abusivas e chocantes de infância.

O lançamento de seu livro de memórias deu ao mundo uma visão íntima da vida de Mariah Carey como nunca antes. Por anos, houveram rumores e especulações sobre seu relacionamento com seus irmãos, especialmente considerando que sua irmã sempre ganhou as manchetes por suas acusações ultrajantes.

Por exemplo, Alison Carey afirmou que sua mãe deixaria estranhos abusar sexualmente dela quando ela era jovem para rituais satânicos. Carey chamou sua irmã de “sem coração” e se referiu a ambos como “ex-irmã” e “ex-irmão” e, quando a cantora se sentou com Oprah Winfrey em uma entrevista recente, ela discutiu o que supostamente sofreu quando criança.

Em seu livro The Meaning of Mariah Carey, a cantora escreveu: “Quando eu tinha 12 anos, minha irmã me drogou com Valium, me ofereceu uma unha cheia de cocaína, me causou queimaduras de terceiro grau e tentou me vender a um cafetão.”

Oprah Winfrey perguntou a Carey sobre essa passagem. “Nós nem nos conhecemos de verdade … não crescemos juntos, mas crescemos. Tipo, eles estavam em suas jornadas, quando eu entrei no mundo, eles já tinham sido danificados, na minha opinião”, disse ela. “Mas, novamente, eu não estava lá. Fui lançada neste mundo e me senti literalmente como uma estranha entre minha própria família.”

“Eles simplesmente cresceram com a experiência de viver com um pai negro e uma mãe branca juntos como uma família e eu estava morando na maior parte com minha mãe, o que eles viam como mais fácil, mas na realidade não era,” Mariah adicionou. “Eles sempre pensaram que minha vida era fácil.”

O livro chega às lojas em 29 de setembro.