Seguir

Master Tee lança álbum conceitual ‘Batidas Pesadas, Mente Elevada, Rimas e Levadas’

Foi aos 12 aos que Master Tee fez sua primeira letra, mesmo de forma despretensiosa isso acabou despertando seu amor pelo rap e junto com seu irmão eles criaram o grupo JayTee Mcs onde começaram a fazer diversos shows pela cidade de São Paulo:

“A primeira vez que entrei em uma balada eu já fui direto para o palco, ainda era uma criança.. de lá pra cá não parei mais, cresci, evolui bastante.. com o JayTee Mcs tivemos excelentes experiências no rap” explicou.

O grupo ganhou um certo destaque, eles participaram do primeiro Hip Hop Festival que aconteceu em 2000 realizado no clube Usina em São Paulo e organizado pelo coletivo RH2C, encabeçados por Paulinho Correria, que atualmente está na frente do Encontro das Tribos da 105 FM, e Dandan, que hoje trabalha com Criolo. Neste festival participaram mais de 100 grupos de todo lugar do Brasil, eles ficaram em 1° lugar nas seletivas e entre os 6 finalista, o que acabou rendendo ao grupo o primeiro registro fonográfico na coletânea do festival com a música “Se Liga” que conta com a produção de DJ W. Jay.

Recentemente Master Tee liberou seu primeiro trabalho solo, chamado de “Batidas Pesadas, Mente Elevada, Rimas e Levadas”, o disco vem recebendo críticas positivas e ele contou um pouco sobre isso:

“Já tinha alguns beats prontos e a mente não parava de trabalhar, decidi produzir e compor um disco solo.. durou quase dois anos e fiz tudo sozinho, produzi as bases, escrevi as letras, fiz as gravações e mixei. Meu parceiro Choco colaborou em 2 faixas, e a masterização foi do Leandro Amaral. Foi uma produção independente e tive muito cuidado para garantir um trabalho de qualidade, e o resultado final me agradou muito” contou o rapper.

O disco apresenta doze faixas e conta com o estilo bem original do rapper, que varia as levadas com rimas cheias de mensagens positivas, reflexivas e sinceras com batidas pesadas e também dançantes.

“Para escrever eu me inspiro na minha vida, minhas vivências, o cotidiano ao meu redor… Todos temos nossos pontos de vistas, crenças e sentimentos. O rap é a minha maneira preferida para expressar tudo isso. Para produzir me inspiro no que eu ouço. Ouço muito rap, todos estilos e vertentes. Ouço R&B, Soul, Funk, Samba, Reggae, Dancehall, Reggaeton… Basicamente tudo o que a black music nacional e internacional produziu dos anos 60 pra cá é alvo de minha apreciação”

O projeto já está disponível em todas as plataformas digitais e você pode ouvir abaixo no Spotify.