niLL lança “O Resgate do Maestro”, novo álbum que mistura sonoridades e cultura geek

“O Resgate do Maestro” conta história de descoberta de sentimentos a partir da visão de um robô, que chega à Terra e conhece as emoções em uma favela.

Como reaprender a se relacionar com as pessoas depois da pandemia? No álbum “O Resgate do Maestro”, o MC e produtor niLL conta essa história a partir da visão de um robô que chega à Terra para explorar as emoções de seus habitantes, misturando a música com um mundo fantasioso. A saga, lançada hoje nas plataformas digitais, começa dentro de uma favela, pois segundo o músico “não existe lugar nenhum no mundo que tenha os sentimentos tão aflorados quanto uma quebrada. Na favela você vê o amor e o ódio bem perto, tá ligado? Um do lado do outro, dentre milhões de sentimentos a mais”.

Divulgação

A concepção do robô Maestro como personagem, que representa todo o projeto do álbum, desde a identidade visual até a sonoridade, como responsável pelo resgate cultural da música através dos alto-falantes que o caracterizam, é o início de uma ideia de niLL que pode ser trabalhada em série. A ideia é que Maestro se desenvolva em novas missões e vivencie mais histórias em novos ambientes. “Procurei algum símbolo, algo que pudesse representar esse lance de a gente estar saindo agora de novo, da sociedade existindo junto de novo”, conta.

Em um trabalho que integra música e arte gráfica, a identidade visual explora ferramentas de modelagem 3D misturadas a cenários do mundo real. Para o artista, esse trabalho é ainda um incentivo às novas gerações: “Quero mostrar pra galera das quebradas que a gente consegue trabalhar esse lado da cultura nerd mesmo morando na favela. Tem potenciais aqui de criação, mesmo estando num lugar tão precário”.

O Resgate do Maestro é um marco da evolução sonora de niLL, que, habituado a lançar um álbum por ano, deu uma pausa maior após BLU, lançado em 2021, para estudar e se redescobrir artisticamente. Uma novidade é o uso mais orgânico de instrumentos, com menos samples e mais estudo musical, além das parcerias e colaborações, que diferem do processo mais solitário de produção dos álbuns anteriores.

Mixado e masterizado por CESRV, produtor e criador do Brime, o álbum teve ainda participação da dupla Deekapz na produção. Nas 12 faixas, niLL retrata a busca por sentimentos e conexões humanas, descrevendo cenários em beats de artistas convidados como Lossio, Bonbap, Pedro Gabriel, MC Luanna, e Duda Raupp, mesclados a linhas de baixo tocadas por ele mesmo, reunindo o máximo de elementos da música brasileira. A intenção é homenagear todos aqueles que contribuíram para a especificidade da sonoridade nacional e que o influenciaram na criação das músicas.

Abrindo o álbum, em parceria com Amiri e produção de Duda Raupp, 3.0 dá o tom da saga de Maestro, falando de sua missão e da reconstrução, de forma intimista. Passando pra Sony, aposta de niLL para agradar seu público usual, o sample único com a introdução do PlayStation 1 é não simplesmente um protesto ao materialismo da sociedade, mas também um incentivo à busca pelas conquistas: “Muitos falavam em dinheiro, o que importa é poder tê-lo”.

Confira o novo álbum de niLL baixo: