Pausa no Editorial para dar um biscoito para o Mano Brown

by

A gente sabe que o Portal RapDiMina é uma plataforma 100% voltada para o Hip Hop feminino. Mas se o nosso divo e professor Mano Brown dá uma entrevista na Revista Cláudia incentivando a revolução feminista a gente até abre uma exceção.

No fim do mês de março, saiu uma entrevista do Brown em uma das principais revistas voltadas ao público feminino do país, onde ele ressalta a importância da participação das mulheres inclusive para a renovação do Rap.

Em março de 2017, Elaine Dias, mulher do rapper deu uma entrevista para a revista Marie Claire declarando que sofria machismo dentro de casa. Essa declaração deu muitas repercussão nas redes sociais e dentro do movimento Hip Hop surgiram questionamentos sobre a postura do Mc.

“ Fui criado de maneira machista, mas o mundo está mudando — e para melhor. Não podia continuar errado desse jeito. Não faz nenhum sentido o homem ser beneficiado só por ser homem; é injusto” declara Brown.

A mudança de pensamento se refletiu em atitudes e também na sua música.

“Eu acompanho esse processo dentro de casa, com minha esposa, minha filha — vivo cercado de mulheres. No momento em que entendi que, se eu não respeitar uma mulher, não vou respeitar ninguém, aí ficou fácil. Então mudei como pessoa, minha música mudou, minha abordagem, o entendimento do mundo…”

O rapper ainda declara que questionou inclusive seu discurso nas músicas antigas ao refletir que aquilo causava sofrimento às mulheres:

“O homem tem tendência a narrar o que está em volta dele. Minhas canções têm essa força das ruas, das gangues. Parei para analisar que esse universo masculino também provoca o sofrimento das mulheres. Só que todo movimento de mudança encontra resistência. E hoje há dois grupos muito opostos: uma juventude conservadora e outra completamente libertária. Mesmo assim, as mulheres estão entrando com força total em todos os espaços, inclusive no Rap. “

Brown ressalta que as mulheres trouxeram uma nova dinâmica pra cena e que a crescente participação feminina é benéfica e inevitável.

“Esse frescor e essa abertura são essenciais para a sobrevivência do gênero, dos sons, das ideias. Por isso que a gente tem que, cada vez mais, cantar as mulheres, colocá-las nos palcos, até para fazer esse movimento contrário à resistência. Eu sei que, quando olhamos, ainda não há mudanças muito significativas, mas elas virão, é inevitável.”

A equipe do RapDiMina te ama Brown e queremos muitos feats com as minas!

É muito importante os Mc’s se posicionarem contra o machismo, principalmente os ícones. Mano Brown continua sendo vanguarda e nós mulheres continuamos na luta.

Por Taz Mureb ; Originalmente postado em Rap Di Mina

Relacionados