Prisioneiros mexicanos entram no Onlyfans para conseguirem dinheiro enquanto estão na cadeia

Prisioneiros mexicanos entraram no Onlyfans e estão ganhando dinheiro na plataforma.

Mais de um ano após o boom da pandemia de OnlyFans, é uma hipérbole razoável, se não uma declaração estritamente factual, dizer que pelo menos uma pessoa que a gente conhece, tem OnlyFans. Seus amigos, seus colegas de trabalho… – há uma boa chance de qualquer uma dessas pessoas, e qualquer pessoa com quem você interage diariamente, possa ter um OnlyFans. E agora, até mesmo os prisioneiros no México estão lucrando com a tendência atrás das grades.

Uma página OnlyFans supostamente administrada por presidiários de uma prisão mexicana está aparentemente se tornando viral. De acordo com a Vice, a página consiste em um conteúdo sexual filmado atrás das grades com câmeras de telefone, que, embora não sejam tecnicamente permitidas, são aparentemente comuns nas prisões latino-americanas. A página supostamente apresenta vários vídeos de vários atos sexuais, incluindo masturbação, sexo oral e grupal, bem como uma coleção de fotos explícitas que retratam “os presos exibindo seus corpos e membros tatuados”.

Além disso, os criadores por trás da conta estão na verdade lucrando com seu conteúdo e, se os supostos presos forem de fato presos, isso parece marcar a primeira vez que presos ganharam dinheiro atrás das grades carregando conteúdo explícito online. A conta atraiu fãs, principalmente do sexo masculino, de todo o mundo, com vários comentaristas elogiando o conteúdo e pedindo mais de tudo, desde “beijos de língua” românticos a “sexo violento na prisão”.

Os supostos detentos por trás da conta, segundo boatos, mantinham sua fábrica de conteúdo funcionando atrás das grades, subornando guardas para olhar para o outro lado, disse à Vice, uma fonte conectada a uma conta relacionada no Twitter. Há rumores de que o site onde o conteúdo é baseado é a prisão de San Miguel de Puebla, que tem um histórico de corrupção.

Os presidiários empreendedores também conquistaram milhares de seguidores por meio do Twitter @internos_cereso nas últimas semanas, antes de a conta ser suspensa. A conversa no Twitter variou de elogios à iniciativa dos presos até aqueles que dizem que pelo menos os presos estão cobrando por material sexual, em vez de ligar para pessoas aleatórias fora das prisões para aterrorizá-los e extorquir-los, que é um crime comum no México.

Sair da versão mobile