R. Kelly deve processar presídio após preso o espanca-lo e corta-lo com caneta

897

R. Kelly foi agredido por preso de uma gangue.

O cantor R. Kelly pode abrir um processo federal depois que um colega o atacou com uma caneta no Metropolitan Correctional Center em Chicago na semana passada. Os advogados de Kelly vão apelar ao governo para libertá-lo em prisão domiciliar depois que ele quase foi morto por outro preso em um ataque não provocado.

O cantor de “Trapped in the Closet”, de 53 anos, não vê seus advogados pessoalmente desde março. Os advogados de Kelly argumentam que ele não conseguiu se preparar para seu julgamento por quase seis meses, devido às restrições em meio à pandemia de coronavírus que limita os visitantes à prisão.

A equipe jurídica de Kelly pode abrir um processo citando as condições perigosas da prisão depois que seu cliente foi atacado por um prisioneiro perturbado.

O preso, identificado como membro da gangue Latin Kings Jeremiah Farmer, supostamente atacou Kelly porque ele estava chateado com os bloqueios devido aos protestos dos fãs de Kelly do lado de fora da prisão. Em uma carta escrita à mão para o Sétimo Circuito de Corte de Apelações, intitulada “O governo me fez atacar R. Kelly”, Farmer disse que foi “forçado” a atacar o cantor de R&B.

“Farmer, sem nenhum outro lugar para pedir ajuda legal, foi forçado a atacar o cantor de R&B de hip-hop Robert Kelly na esperança de chamar a atenção dos holofotes e noticiários mundiais para lançar luz sobre a corrupção do governo”, escreveu Farmer.

Ele continuou: “Devido à corrupção governamental mais flagrante no caso de Farmer, e estando preso pelo protesto de R. Kelly, eu bati fisicamente no Sr. Kelly em uma tentativa de divulgar o caso de Farmer para provar a corrupção do governo e ajudar a inocência de Farmer para prevalecer.”

A carta provavelmente será incluída em uma ação movida contra o Federal Bureau of Prisons que administra a prisão.

Os advogados de Kelly vão pleitear sua libertação perante o Segundo Tribunal de Apelações do Circuito na sexta-feira. Kelly foi indiciado por acusações federais de pornografia infantil, tráfico e abuso sexual agravado. Ele foi levado sob custódia federal em julho de 2019.