Rap + Entrevista: Rincon Sapiência. MC falou sobre turnê na Europa, Sucesso do Galanga Livre e +

O nome de Rincon Sapiência já é bastante conhecido no cenário do rap nacional, no entanto, até esse ano, o mc nunca havia lançado um disco em sua carreira.
Mas no dia 25 de Março isso mudou com o lançamento do “Galanga Livre“, onde Sapiência mostra suas influências nas músicas africanas e eletrônicas, com letras que abordam a valorização e consciência da afrodescendência. O artista vem colhendo o sucesso do disco, ele chegou a fazer até uma turnê pela Europa entre os dias 25 de Agosto até dia 9 desse mês.

Voltando de viagem, o artista não quer saber de descansar, ele já anunciou que irá fazer uma série de shows gratuitos em São Paulo, dois shows de lançamento do seu álbum no Sesc Pompeia e ainda teve tempo para lançar uma faixa para a nova campanha da Budweiser.

Rincon também tirou um pouco do seu tempo para dar uma entrevista exclusiva para o RAP+, onde falou sobre experiência com sua turnê Europeia, sucesso do Galanga Livre, clipe que gravou pela Europa e +, confira abaixo.

 

Primeiro gostaríamos de saber sobre a turnê pela Europa. Como foi essa experiencia para você, como pessoa e artista?

Uma experiencia muito boa como pessoa, como turista,consegui realizar uns trabalhos, fizemos muito bem os shows e os compromissos. Eu tive tempo também de conhecer pessoas, histórias dos lugares onde passei, as particularidades. Consegui agregar referencias que vão desde música, moda, história, entre outras coisas assim. Então, eu diria que foi uma experiencia muito enriquecedora e diria que voltei com uma mente nova depois dessa viagem.

 

Como o publico europeu recebeu sua musica e seu estilo? Deu para ter uma noção de como eles veem a musica negra brasileira?

Me receberam muito bem, desde a forma de se vestir, musicalidade, o comportamento no palco.. tudo isso foi muito bem recebido e isso foi interessante por que eles tem acesso e consomem, a Europa tem um cenário de rap muito forte, principalmente França, Alemanha, Inglaterra.. e se a gente viesse trazendo um rap que não fosse uma novidade pra eles e ainda eles não entendendo o idioma, talvez não seria interessante né? Mas foi tudo justamente ao contrário. A gente veio com o Afro Rap com jeito brasileiro, referências de samba, capoeira, ciranda.. fazendo danças, performando…  a recepção foi muito calorosa.

 

Você viajou para a Africa em busca de suas raízes e adicionou o conhecimento que adquiriu por lá em sua musica. Você acha que esse tempo que passou na Europa também pode influenciar sua musica de alguma forma?

Esse tempo já me influenciou, foi uma experiência bem parecida no sentido de eu conseguir estar em um ambiente, tanto na Africa como na Europa, não de forma de ir nos lugares mais clichês e me relacionar da forma mais clichê, saca? Eu tive a oportunidade de conhecer as pessoas. Em Lisboa, por exemplo, eu fui na quebrada, tive a vivencia de rua com os caras, descolei o que a rapaziada escuta nas ruas e consequentemente gravei uns sons que eu vi pelas quebradas. Então diria que meus próximos lançamentos, trabalhos e músicas eu já venha com esse pensamento global com partes de experiencias daqui no Brasil, que tive na África e agora com as que tive também no continente Europeu.

 

Soubemos que você gravou uma nova faixa e o videoclipe da mesma durante a turnê. O que pode falar sobre essa novidade? Essa música já tem nome e data de lançamento?

Ainda não tem data de lançamento, mas fui muito preparado para esse tipo de situação, você viaja pra outro continente, fora do seu país, é uma experiencia inspiradora no que diz respeito a que você querer compor e produzir, então já me precavi e levei todos meus equipamentos. E não demorou muito e eu já tava produzindo um instrumental, e depois eu já tava compondo a música, depois gravando as vozes.. e depois surgiu uma oportunidade de filmar, a principio a gente tinha planos de filmar com iPhone mesmo, mas ai acabamos conhecendo um pessoal lá interessado em fazer um vídeo com a gente, então tudo ornou de forma natural, orgânica e é um resultado que me agrada muito, foi incrível. Posso afirmar que vem mais coisa interessante por ai.

 

Seu álbum Galanga Livre será lançado em dois shows em São Paulo. O que podemos esperar dessas apresentações? Tem algo especial reservado?

Não vou adiantar nada, tudo é surpresa, mas o certo é que serão dois dias especiais pra mim em particular e espero que seja para o público também, estarei acompanhado com minha banda, nossa equipe toda está trabalhando muito para a execução desses dois shows sejam o mais perfeito e divertido possível. E esse ano tem sido muito bom e essas datas no Sesc vão ser a cereja de tudo que tem acontecido de legal esse ano.

 

Para fechar, você sentiu que sua vida mudou muito após o sucesso de Galanga Livre e das grandes faixas que o álbum contem?

Acho que é bem especial, durante muito tempo cantei as músicas que eu tinha soltas na internet, alguns lançamentos que eu tinha, outras que não tinha lançado, e eu levava isso para os shows. Mas com o passar do tempo lançamos esse álbum e divulgamos bem ele, as pessoas estão ouvindo na sua rotina, indo pro trabalho, ouvindo na balada, curtindo.. então na hora que essa energia aparece ao vivo com músicas que as pessoas estão habituadas a ouvir na sua rotina, ouvindo ao vivo, ali se torna um momento especial né? então pra mim o Galanga Livre está sendo bem desbravador, como pessoa e profissionalmente.

 

Agradecemos ao Rincon Sapiência e Boia Fria Produções pela oportunidade!