Kodak também foi transferido para uma prisão no Kentucky.

Kodak Black recebeu uma data oficial para deixar a prisão e ser um homem livre mais uma vez. De acordo com as autoridades policiais, Kodak deve ser libertado em 14 de agosto de 2022. Ele poderia até sair alguns dias antes, já que o dia 14 cai em um domingo e a política federal americana deixa os presos saírem mais cedo se a data de libertação cai no fim de semana.

Juntamente com as notícias de sua futura liberdade, Kodak também foi temporariamente transferido para uma prisão federal em Oklahoma City. Após essa permanência, ele será oficialmente colocado em uma instituição correcional em Kentucky pelo restante de sua sentença. Atualmente, ele está cumprindo 46 meses por um caso de porte de armas, no qual passou a primeira parte foi cumprida em uma prisão federal de Miami.

Kodak falou recentemente sobre o tratamento “cruel e antiético” que recebeu nas mãos dos guardas da FCI Miami. Ele alegou ter sido espancado e não teve assistência médica, entre outras necessidades básicas, e expressou seu medo de que ele acabasse morto se essas circunstâncias persistissem.

Sua mãe, Marcelene Simmons, contratou recentemente o advogado Benjamin Crump, que trabalhou com a família de Trayvon Martin no famoso caso George Zimmerman. Marcelene ameaçou processar o Bureau of Prisons pelas experiências abomináveis ​​de seu filho nas instalações de Miami. No entanto, Kodak não foi transferido devido a suas queixas sobre as condições desumanas de Miami. De acordo com a TMZ, os presos geralmente não passam suas sentenças inteiras na FCI Miami, mas recebem uma avaliação de risco para determinar qual prisão é a mais adequada para eles antes de serem transferidos.