A equipe de Tay-K respondeu os rumores.

Neste fim de semana, uma foto apareceu online do rapper Tay-K encarcerado, nascido Taymor McIntyre, vestindo com o que parecia ser uma roupa anti-suicídio usada em algumas prisões americanas enquanto falava em um telefone. Este avental em particular é normalmente usado por reclusos que são rotulados como sendo uma ameaça às suas próprias vidas. Presos que exibem sinais de tendências suicidas são obrigados a usar esses aventais para mantê-los visivelmente identificáveis.

Desde então, a equipe de Tay-K se apresentou para garantir aos fãs que o problemático rapper não está em observação suicida e nem é suicida. Segundo ele, o jovem usou a tática para sair do confinamento solitário.

“Deixe-me limpar o ar bem rápido”, escreveu o empresário de Tay-K, Ezra Verill, em um post para suas histórias no Instagram. “Aquela foto tem mais de sete meses. Tay não é um suicida. [Tay-K] fez isso para sair do confinamento solitário em que esteve por quase dois anos. Uma loucura os extremos que você tem que passar apenas para ser tratado humanamente em um situação f*dida”.

Atualmente, Tay-K está aguardando julgamento em duas acusações separadas por assassinato e agressão agravada. O jovem de 18 anos é acusado do assassinato de Ethan Walker, de 21 anos, em 2016, o caso que desencadeou a criação de sua faixa viral “The Race”.

Os promotores também afirmam que McIntyre é responsável pelo assassinato de Mark Saldiva, de 23 anos, em San Antonio. Sua acusação de agressão agravada decorre de seu suposto assalto a um homem de 65 anos em Arlington, Texas, enquanto evitava a prisão. Todos os cúmplices de Tay-K, desde então, fizeram acordos judiciais sobre as acusações, enquanto o rapper continua negando ser culpado pelos crimes.