Deputados do Rio rejeitam homenagem a Emicida

A negação já tinha ocorrido também nesta semana com Ludmilla

Na última terça-feira (14), o caso de rejeição à cantora Ludmilla deu o que falar nas redes sociais. A nova vítima foi o rapper Emicida, com a votação da Medalha Tiradentes, negada por 22 votos contra e 19 à favor. Instaurou-se um debate (que durou uma hora e meia) entre direita e esquerda com diversos ataques e ofensas, abatidos pela deputada Renata Souza, do PSOL.

Com esses rotineiros acontecimentos, foi apresentada uma proposta do deputado Luiz Paulo, do PSD, para que cada parlamentar seja o único responsável pela própria medalha indicada. No entanto, falta a aprovação pelo colégio de líderes.

Marcelo Brandt / G1

Na rejeição ocorrida com a Ludmilla, um dos sustentadores das intrigas e negação foi o deputado Alan Lopes, do PL, que ironizou a homenagem citando sarcasticamente as letras da cantora brasileira nas músicas Socadona e Verdinha. A cantora carioca comentou sobre a situação: “É uma pena que a Assembleia Legislativa do meu Estado não reconheça o meu trabalho e luta, paciência. E para a deputada Verônica Lima, meu agradecimento por respeitar a mim e a minha arte, por tentar fazer com que as pessoas entendam a realidade da maior parte da população do RJ. Fico muito feliz em ver que temos representantes sérios como a senhora. Vamos continuar firmes na luta pelas mulheres, pelos pretos e pelas minorias”.

Com o caso do Emicida, que ainda não se pronunciou sobre o assunto, Alan Lopes voltou a causar problemas, pedindo a verificação dos votos, resultando na briga ideológica.

Sair da versão mobile