Seguir

Don L afirma ser ‘o melhor’ desde Sabotage e causa debate entre o público

Fotos: João Medeiros | Reprodução/Internet

Don L gerou um enorme debate no cenário do rap nacional.

Estreou nesta quarta-feira (3) o álbum “Sabotage 50, concluindo o ciclo de celebrações do cinquentenário do Maestro do Canão – iniciado em abril de 2023, em parceria da família do rapper com a Som Livre. Entre diversas participações renomadas, encontra-se Don L.

O rapper participa de “Dama Tereza” ao lado de Luedji Luna. Em uma de suas rimas, o artista afirma que é o melhor do cenário do rap nacional desde Sabotage, ressaltando ainda a gratidão por colaborar no novo disco póstumo de um dos principais ícones do movimento hip-hop.

Venho sendo o melhor desde Sabotage / Emblemático participar dessa / Esteja em paz maestro“, canta o autor de clássicos como “Beira de Piscina Remix” e “Aquela Fé” na faixa, gerando uma grande discussão entre os MC’s e público da cultura.

Fotos: João Medeiros | Reprodução/Internet

“A parada do Don, além de ser por ele não ser do eixo, ele é lírico no mais alto escalão, então exige um entendimento do público… Porém, nenhuma mentira [na afirmação”, opinou Chris MC. O fotógrafo e jornalista musical João Medeiros, por sua vez, refletiu o extenso legado de Don L.

“As pessoas realmente não entendem a longevidade do Don L. Em 2007, ele estava lançando um clássico vencedor do prêmio Hutúz; relevante em 2012 com outro clássico na era Cone Crew; RPA Vol. 3 na época do ‘ano lírico e RPA Vol. 2 em 2021”, escreveu João.

Na sequência, o fotógrafo e jornalista questionou qual outro nome foi tão talentoso por tanto tempo. “Amassou Poetas No Topo e Poesia Acústica. Considerando que Racionais MC’s – e, por consequência, Mano Brown – teve um hiato entre 2002 e 2014, fala um rapper que foi tão bom assim por tanto tempo e em tantas gerações diferentes? Não tem”, afirmou.

“Don L, hoje, está na discussão de melhores MC’s do Brasil com BK’, Djonga; quem você quiser colocar… Mas já esteve na época de Kamau, um pouco depois do Black Alien, e com Emicida. Entende?”, acrescentou ele.

Completando seu discurso, João Victor Medeiros citou a rima “never been a nigga this good for this long“, de Jay-Z na track “What More Can I Say“, do “The Black Album“, de 2003. “Surgiram outros excelentes rappers nesse meio tempo, fato, [mas] meu ponto é que não tem nada de absurdo no que o Don afirmou e segue o jogo”, finaliza.