Flow Podcast perde patrocínio do iFood após tuites de Monark

capa flow

Reprodução

Apresentador do famoso podcast fez publicações que gerou questionamentos; ele falava sobre a relação entre liberdade de expressão e racismo.

Conforme noticiamos nesta semana, o apresentador do Flow Podcast, Monark, causou uma grande revolta nas redes sociais quando questionou em sua conta do Twitter se “ter uma opinião racista é crime?”. A pergunta veio depois dele escrever que ‘é a ação que faz o crime e não a opinião”, o apresentador foi respondido por um advogado e fez o questionamento que acabou gerando a polêmica.

A fala foi repudiada por diversas pessoas, inclusive alguns membros da comunidade do hip-hop, levando o Monark a ser desafiado para uma luta de boxe. O Flow é um dos maiores podcast do Brasil e conta com milhares de seguidores e não é a primeira vez que o Monark se envolve em uma discussão relacionada ao tema de liberdade de expressão.

 

Reprodução – Flow Podcast

Com a grande repercussão negativa de suas falas, ele fez outros comentários para apoiar sua visão sobre a liberdade de expressão como “Querem criminalizar o pensamento. Muito perigoso isso. Autoritarismo começa assim.” Dizia o podcaster em sua conta. Agora, as falas de Monark geraram mais do que uma revolta nas redes sociais e elas vão pesar no bolso do podcast.

Duas marcas decidiram encerrar suas parcerias com o Flow. Conforme apontado pelo portal PropMark, na quarta-feira (27), a Trybe, que patrocinou alguns programas e mantinha uma relação mais pontual, explicou em um post que não compactua com declarações de “cunho homofóbico, racista ou que propague e normalize discursos de ódio”. Já nesta sexta (29), o iFood, a marca mais citada na repercussão das declarações, também informou o encerramento da parceria, após analisar o caso profundamente ao longo dos últimos dias.

“O propósito do iFood é alimentar o futuro do mundo promovendo mudanças e impactando positivamente a sociedade, por isso estamos encerrando nosso patrocínio ao Flow. Acreditamos que não é mais possível ser parte de uma sociedade desigual, por isso repudiamos qualquer tipo de preconceito ou ato de discriminação. A empresa assumiu compromisso público de ser protagonista na promoção de mudanças urgentes que favoreçam a diversidade e a inclusão”, afirmou a empresa em nota ao PropMark.

Também hoje, pelo Twitter, Monark se defendeu das acusações e tentou se retratar, dizendo que sua defesa da liberdade de expressão foi “interpretada” da maneira errada. Veja o post abaixo:

 

Sair da versão mobile